20 de Janeiro de 2020 |
Última atualização 11:4
Comentamos
Ativista negra se declara inocente e acusa justiça seletiva
Mais vistos
06/01/2016
Luto: morreu Pompêo, que viveu nas telas o herói Zumbi dos Palmares
Da Redação, com informações das Agências e Jornais O Globo e Folha de S. Paulo

Rio – O ator, diretor, roteirista, artista plástico e militante da causa antirracista, Antonio Pompêo, foi encontrado morto nesta terça-feira (05/01), em sua casa em Guaratiba, Zona Oeste do Rio, provavelmente vítima de um infarto fulminante. A causa oficial da morte, que possivelmente ocorreu no domingo (03/01) porém, ainda não foi divulgada. O enterro deve acontecer nesta quarta.

Ele tinha 62 anos. Uma vizinha do ator, Aldineia Silva, contou na sua rede social o último contato que teve com Pompêo. “As últimas palavras dele prá mim foram que ele queria muito me dar um abraço. E esse abraço não foi dado. Estou muito triste. Ele sempre passava mensagem, curtia fotos, e a janela dele estava aberta”, disse.

Carreira

Além de ator, em mais de 62 novelas da Globo, Pompeu  foi um ativo militante da causa antirracista. Entre 2007 e 2008 foi diretor do Departamento de Fomento e Promoção da Cultura Afro-Brasileira e presidente da Fundação Palmares, autarquia vinculada ao Ministério da Cultura. No cinema, ele foi o Zumbi, o herói de Palmares, no filme Quilombo, lançado em 1.984, pelo cineasta Cacá Diegues. 

Nascido em S. José do Rio Pardo, interior de S. Paulo, Pompêo particiou de importantes produções no cinema como “Xica da Silva” e “O Cortiço”. Atuou também em novelas da Globo como “O Rei do Gado”, “A viagem”, “Pecado capital”, “Mulheres de areia”, “A casa das sete mulheres”, “Pedra sobre pedra” e “Fera ferida”. A primeira novela em que ficou conhecida foi em “A Moreninha”, em 1.975.

Fora da Globo atuou em novelas da extinta TV Manchete como “Kananga do Japão”, e “A história de Ana Raio e Zé Trovão”. O último trabalho na TV foi na novela “Balacobaco”, da TV Record, em 2012.

Pesar

O presidente do Sindicato dos Artistas e Técnicos em Espetáculos de Diversão do Rio de Janeiro (Sated-RJ), Jorge Coutinho, manifestou tristeza com a morte do amigo. “É com enorme pesar que recebo a notícia do falecimento do meu grande amigo, ator, diretor, roteirista, cineasta e diretor do Sated-RJ, Antonio Pompêo. Que continue sendo luz meu amigo, eternamente, e continue crescendo espiritualmente. Nesta triste hora quero prestar minha homenagem a este grande artista e pedir a todos que direcionem energias de paz e positividade para aquele que não se encontra entre nós, mas estará sempre em nossos corações”, afirmou.

Por sua vez, a atriz e cantora Zezé Mota, que atuou com Pompêo em Chica da Silva disse: “Em choque e grande pesar que comunico a perda do meu amigo e grande ator Antonio Pompêo. Juntos trabalhamos em Xica da Silva, Quilombo, entre tantos outros projetos. Na Televisão foram mais de cinco novelas em que atuamos juntos. A dor é grande. Descanse em paz, meu amigo”, escreveu em sua rede social.

O ex-presidente da Fundação Cultural Palmares, Zulu Araújo, também lamentou a morte do amigo. “Notícia triste: meu querido amigo, ator, artista plástico, militante do movimento negro e nosso Zumbi redivivo nas telas do cinema, Antonio Pompêo, acaba de ser encontrado morto em sua casa, no Rio de Janeiro. Uma grande figura humana que merece todo nosso respeito. Um grande abraço meu irmão e que os orixás lhe acompanhem".

(Na foto acima, o ator é dirigido por Cacá Diegues, quando reviveu Zumbi, no filme Quilombo).


Artigos Relacionados
"Correndo Atrás", de Jefferson De, é sucesso no Festival de Cinema do Rio
Mantiqueira discute literatura e racismo neste final de semana na FLIMA 2018
Fotógrafo Luiz Moreira faz sua primeira individual em São Paulo
Tia Má solta a língua em show em S. Paulo
Twitter
Facebook
Todos os Direitos Reservados