1 de Abril de 2020 |
Última atualização :
Comentamos
Ativista negra se declara inocente e acusa justiça seletiva
25/07/2016
Cia. Os Crespos pesquisa levantes negros em "De Brasa e Pólvora"
Da Redação, com informações de Lau Francisco

S. Paulo - Dando continuidade ao projeto "De Brasa e Pólvora - Zonas Incendiárias, Panfletos poéticos", a Cia. Os Crespos volta para apresentar mais um processo da investigação sobre a construção da identidade do negro contemporâneo em sua relação com as formas de liberdade.

“De brasa e Pólvora” será apresentado em quatro diferentes lugares nas ruas da cidade entre os dias 1 e 4 de agosto de 2016: em frente a Igreja Nossa Senhora da Paz (Rua Glicério), Terminal Campo Limpo (Estrada do Campo Limpo), Metrô do Largo 13, em Santo Amaro, e Instituto Arte em Construção - Pombas Urbanas. Os espetáculos são gratuitos.

Espetáculo investiga levantes negros no Brasil

“De Brasa e Pólvora” faz parte de uma pesquisa dos Crespos que investiga as evoluções e revoluções políticas latino-americanas a partir dos levantes negros no Brasil e no Caribe (pouco citados nos livros de história, inclusive), tendo em vista a construção imaginária de uma revolução poética a favor da abolição do racismo. O espetáculo conta com uma proposta estética específica e busca intervir no cotidiano da cidade, dialogando com diferentes espaços públicos, na tentativa de dar conta dos levantes e movimentos negros rebeldes desde o período escravista até a nossa atual república e dos movimentos de contrarrevolução das elites.

No início desse processo de pesquisa a Cia apresentou o espetáculo “Ninhos e Revides – Mirando o Haiti” que juntamente com “De Brasa e Pólvora” integram um processo que resultará na montagem de um outro espetáculo teatral, que será livremente inspirado no texto “Lembrança de uma Revolução: A Missão” de Heiner Müller, dando continuidade à pesquisa da Cia sobre essa obra.

Em cena seis personagens, que tiveram o mesmo sonho, se encontram numa praia, onde são convidados a fazer uma viagem no tempo, através da Calunga. Durante a viagem eles tentam desvendar a missão para a qual foram convocados no sonho. Através de pistas, de um passado sempre presente, eles chegam em seu destino, onde se deparam com a guerra das paisagens.

“Compreendemos as diversas lutas negras como tochas acesas para o estopim das transformações sociais antirracistas. Nossa tarefa, nesse trabalho, é construir, no campo do imaginário, um terreno fértil para uma revolução que garanta nossa plena liberdade. Não se trata de continuar discutindo o óbvio, pois é evidente que se tiram nossas vidas aos milhares, ainda hoje, é porque não somos livres nessa sociedade, não temos direitos iguais e não podemos nos calar. Tudo isso está dado, fazemos o que com essa certeza? É o que estamos nos indagando durante todo o processo e a pergunta que tentamos nos responder.”

Ficha Técnica

Atores – Dani Nega, Dani Rocha, Joyce Barbosa, Lucelia Sergio, Sidney Santiago Kuanza, William Simplício Direção – Os Crespos Músicos – Giovani Di Ganzá Assistente de Direção – Lena Roque Direção de arte – Mayara Mascarenhas Adereços – Cleydson Catarina Roteiro da Intervenção – Os Crespos Dramaturgia – Allan da Rosa Direção de vídeo – Edu Luz e Cibele Appes Iluminador – Edu Luz Orientação Teórica – Allan da Rosa e Marc Pierre Técnico Luz, Som e Vídeo – Edu Luz Cenotécnico – Wanderley Wagner da Silva Designer Gráfico – Rodrigo Kenan Fotografia – Roniel Felipe Produção – Adriano José Produção Executiva – Ivy Souza Secretário – Ramon Zago Assessoria de Imprensa: 7 Fronteiras Comunicação

Serviço:

“De Brasa e Pólvora”

Datas e locais:

Dia 1 de agosto, às 17h na frente da Igreja Nossa Senhora da Paz (Rua do Glicério, 225) 

Dia 2 de agosto, às 17h30, no Terminal Campo Limpo (Estrada do Campo Limpo, 3401) 

Dia 3 de agosto, às 17h30, na saída do Metrô Largo 13 (Av. Padre José Maria, 526 - Santo Amaro)

Dia 4 de agosto, às 17h, no Instituto Arte em Construção - Pombas Urbanas (Av. dos Metalúrgicos 2100, Cidade Tiradentes).

ENTRADA FRANCA

 


Artigos Relacionados
"Correndo Atrás", de Jefferson De, é sucesso no Festival de Cinema do Rio
Mantiqueira discute literatura e racismo neste final de semana na FLIMA 2018
Fotógrafo Luiz Moreira faz sua primeira individual em São Paulo
Tia Má solta a língua em show em S. Paulo
Twitter
Facebook
Todos os Direitos Reservados