29 de Junho de 2017 |
Última atualização 0:0
Comentamos
Benedita da Silva denuncia declarações racistas/nazistas de Jair Bolsonaro em clube judaico
16/06/2017
Cultura maranhense é destaque em Nova York
Edson Cadette é corresponde de Afropress em Nova York

Manhattan, Nova York – A rica cultura do Maranhão, com a forte presença e influência negra, foi o grande destaque da galeria Saphira & Ventura, no mês passado, em Nova York. O renomado fotógrafo Meireles Júnior e a belíssima cantora e compositora Flávia Bittencourt juntaram seus talentos para o lançamento de suas mais recentes obras retratanto a vasta e diversa cultura deste Estado do nordeste brasileiro.

O fotógrafo Meireles Jr. chegou a Nova York com dois dos seus mais importantes trabalhos “Entre o Céu e a Terra (audiovisual) – Maranhão Patrimônio de Imagens” e “Sobrenatural: Impressões sobre os Lençóis   maranhenses e o Grand Canyon”.

“Entre o Céu e a Terra: Patrimônio de Imagens” apresenta as histórias, as belezas naturais, a cultura, tradições  e a influência africana na cultura maranhense.

Lançado em 2008, o livro acaba de ganhar uma nova edição com formato interativo e digital. Por intermédio do aplicativo Zappar, Meireles dá vida as suas belas imagens que, em realidade aumentada, se tranformaram em vídeos com trilha sonora própria.

Entre idas e vindas aos EUA, o projeto resultou, não somente no belo livro de imagens, mas tambem num documentário de 20 minutos que retrata os bastidores da elaboração da obra e histórias curiosas como a origem do título. O livro vem acompanhado de um DVD.

"Leve"

Flávia Bitterncourt, depois de passar por várias capitais brasileiras, lançou, e Novaork, o seu mais recentetrabalho, o CD/DVD “Leve”.

Gravado no Teatro Arthur Azevedo, em São Luiz, pela gravadora Coqueiro Verde Records, “Leve” celebra os 10 anos de carreira de Flávia. Com um repertório de músicas autorais e releituras de clássicos consagrados, Flávia passeia com desenvoltura por rítmos diversos, oferecendo uma pluralidade de conteudos.

Flávia faz parte de uma nova geração de artistas que vem colhendo elogios da crítica especializada. Ela iniciou a carreira na adolescência, influenciada por cantores e compositores como Luiz Gonzaga, Elizeth Cardoso, Beatles, Rolling Stones, Jane Doboc, e pelas manifestações culturais do Maranhão, como o bumba-meu-boi e tambor de crioula.

As raízes culturais de sua cidade natal juntamente com a rica e vasta influência africana estão presentes na escolha do seu belo repertório.

 

 


Artigos Relacionados
Surfando pela liberdade
Paulo Brown, o dj que faz a ponte entre S. Paulo e Nova York
Fernandópolis reúne lideres de religiões de matrizes africanas em encontro regional
Entrevista/Lázaro Ramos: “Sou muito feliz na pele em que habito”, diz ator
Twitter
Facebook
Todos os Direitos Reservados