12 de Dezembro de 2017 |
Última atualização :
Comentamos
Racismo: causas e consequências - palestra na Câmara Municipal de Botucatu - S. Paulo
15/11/2017
Coordenador do ILABANTU está em Angola para estreitar relações com África
Da Redação

Luanda/Angola– O jornalista Walmir Damasceno, o Taata Nkisi Katuvanjesi, coordenador geral do ILABANTU- Nzo Tumbansi, e representante para o Brasil, América Latina e Caribe, do CICIBA(Centro Internacional de Civilizações Bantu), está desde domingo em Angola para estreitar  os laços de solidariedade entre o Brasil e aquele país africano.

O jornalista embarcou no voo DT 746 da Linhas Aéreas de Angola, no Aeroporto Internacional de São Paulo/Guarulhos, desembarcando na segunda em Luanda, no Aeroporto Internacional 4 de fevereiro. Ele foi recepcionado por personalidades do universo acadêmico intelectual, artístico e de autoridades tradicionais.

Em Luanda, o jornalista foi alvo de outra recepção, desta feita no Palácio de Ferro, sede da Fundação Sindika Dokolo, além de encontros com autoridades do Governo angolano, como a Ministra da Cultura, Carolina Cerqueira, e com a antropóloga Ana Maria de Oliveira, ex-ministra da cultura e ex-deputada da Assembleia Nacional de Angola, empresários de diversos e variados setores artísticos e culturais, inclusive o ator e produtor Celso Roberto Ferreira Carlos.

Ferreira Carlos interpretou o personagem Kiluanji na novela angolana Windeck e foi homenageado no dia 12 de outubro durante a realização do III Seminário Internacional de Comunidades Tradicionais Bantu realizado na cidade de Itapecerica da Serra, grande São Paulo, sede do ILABANTU.

A honraria, título de Grande Benemérito da Cultura Tradicional Bantu Brasileira, foi atribuída também ao empresário Sindika Dokolo, presidente da fundação que leva seu nome, que foi representado no evento pela arquiteta angolana Marita Silva, diretora executiva da Fundação Sindika Dokolo, e o diretor geral da Semba Comunicação.

Acompanhado de autoridades do Governo de Angola, o coordenador do ILABANTU tem programada viagem para a província do Zaire, região norte do país da África central e, pisará pela primeira vez na secular cidade angolana de Mbanza Congo, declarada recentemente Património Cultural da Humanidade pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO).

A cidade é o berço de muitos ancestrais de brasileiros negros ele tem encontro com com Mfumu Mukongo (Afonso Méndes, foto ao lado), chefe das autoridades tradicionais. Segundo o jornalista e líder religioso, o Mbuta Muntu Afonso Méndes, um homem com poder máximo da tradição Kongo em Angola, o Soba-Mor (Rei Grande), é o representante das Autoridades Tradicionais em Mbanza Kongo, na realidade substitui o Rei do Kongo.

Cumprindo uma agenda intensa de reuniões em Angola que inclui palestra na cidade do Uige, com a temática: Tradições Bantu-Kongo no Brasil e Angola: Culturas, Costumes, Tradições, e pretende se encontrar com o vice-presidente da República, professor doutor Bornito de Sousa Baltazar Diogo, o jornalista visitará pela segunda vez o Reino do Bailundo, na província do Huambo, região do planalto central de Angola.

Ele também pretende visitar a Universidade Katyavala Bwila, em Benguela. Em 2015 Tata Nkisi Katuvanjesi foi recepcionado e homenageado pela corte do grande Reino do Bailundu, liderado pelo soberano Armindo Francisco Ekuikwi V, que tem como projeto visita ao Brasil, a primeira de um Rei Tradicional Bantu ao Brasil e América Latina.


Artigos Relacionados
Jojó de Olivença e a força transformadora do surf
Brasileira brilha no Dance Theater of Harlem
Experiência na delegação afro-brasileira na Conferência das Humanidades
Conversa Literária em Nova York: Teatro negro brasileiro em perspectiva.
Twitter
Facebook
Todos os Direitos Reservados