28 de Janeiro de 2020 |
Última atualização :
Comentamos
Ativista negra se declara inocente e acusa justiça seletiva
Mais vistos
05/09/2018
Carta aberta ao meu irmão, Marcos Romão
Rosane Aurore Romão Juliano

Mestre em Administração pelo Programa de Pós-graduação em Administração da Universidade Federal Fluminense; Psicóloga

No Amor a gente "deixa" ir! 

Tá difícil meu irmão, Marcos Romão, mas seria muito egoísmo te querer aqui. Você tem muito a fazer daí, né? Já começou mandando uma chuva e tanto! 

Ah! Meu lindo, meu amor, irmão, pai, tudo, professor, amigo, anjo. Eita lelê!

Como você sofria com a injustiça no mundo... 

E com amor, sorriso, ensinamentos, dignidade, respondia as injustiças que sofria... 

Eu ficava muito danada da vida... 

Mas aprendi com você muito do que nossos pais ensinaram: a vida é amor, respeito, dignidade...

E nos conforta saber que você fez sua vida e páscoa com muita dignidade!

Só agradecer! 

A você, aos amigos que fez na vida e que se tornaram nossos amigos, irmãos, anjos família...

Nesses momentos finais fez mais uma legião de amigos no hospital, todos consternados, e teve direito a "quarto particular" na enfermaria que ocupava.

É, meu mano, ainda vamos chorar muito, mas de saudade, que é o Amor que você plantou bem enraizado em nós!

E vamos que vamos, meu amor.

Bom dia, anjos, amigos família.

Ave, Ave, Ave Maria! Take it easy, my brother Marcos Romão! 

09.02.1953 
03.09.2018

O Velório será amanhã, quarta-feira, dia 05 de setembro, a partir das 9h, no Cemitério Confraria Nossa Senhora da Conceição. 

O sepultamento na parte da tarde, às 15h.
R. Gen. Castrioto, 413 - Barreto, Niterói, RJ.


"Este artigo reflete as opiniões do autor e não do veículo. A Afropress não se responsabiliza e nem pode ser responsabilizada pelas informações, conceitos ou opiniões do (a) autor (a) ou por eventuais prejuízos de qualquer natureza em decorrência do uso da informações contidas no artigo."
Artigos Relacionados
Paraisópolis e o perigo de viver à “margem” da sociedade
Paulino de Azurenha : da infância pobre a cronista famoso
Luta pela igualdade também passa pela economia
Bolsonaro e o negro "sim-senhor" da Casa Grande.
Twitter
Facebook
Todos os Direitos Reservados