23 de Outubro de 2018 |
Última atualização :
Comentamos
Conceição Vercesi, de Botucatu, fala sobre Diversidade
09/10/2018
Assassinato de Mestre Moa por bolsonarista choca a Bahia
Da Redação

Salvador/BA – Caetano Veloso, Gilberto Gil, Daniela Mercury e lideranças negras da Bahia prestaram homenagens ao mestre de capoeira Romualdo Rosário da Costa, 63 anos, o Mestre Moa do Katendê, assassinado por um bolsonarista na noite de ontem (08/10), no bairro da Federação.

Mestre Moa levou 12 facadas por dizer que era contra Bolsonaro e tinha votado nos candidatos do PT. Um tio do mestre capoeirista, Germínio do Amor Divino Pereira, 51 anos, também ficou ferido no ataque, mas teve alta ontem.

Fúria assassina

No seu Instagram Gil lembrou que Moa foi o idealizador do bloco Afoxé Badauê. Gil destacou a contribuição cultural do capoeirista para o estado, que entre outros legados, "foi o idealizador do bloco Afoxé Badauê".

“Mestre Moa do Catendê foi morto ontem, em Salvador, por um homem tomado de fúria assassina em meio a uma discussão sobre as eleições que acabavam de acontecer. (...) Ele, homem de dedicada atuação entre as comunidades da cultura popular da cidade, foi o idealizador do bloco Afoxé Badauê que encantou os carnavais de rua da Bahia, alguns anos atrás. Torna-se uma das primeiras vítimas fatais dessa devastadora onda de ódio e intolerância que nos assalta nesses dias de hoje. Nosso luto e nossa esperança de que a sua imolação não tenho sido em vão e que nos ajude a encontrar a pacificação logo ali adiante!”, escreveu Gil na rede social.

"Que tempos são esses?"

Por sua vez, Caetano, também no Instagram escreveu: “Moa do Catendê, a quem devo a revelação que foi ver e ouvir o grupo de pessoas na rua cantando "Misteriosamente o Badauê surgiu", foi morto a facadas por ter dito que votara em Haddad. O assassino, um bolsonarista apaixonado, foi encontrado quando tentava fugir. É o que acabo de ler no Yahoo!News. Moa era meu amigo e foi uma das figuras centrais na história do crescimento dos blocos afro de Salvador. Estou de luto por ele. Não olho redes sociais. Abri o Yahoo! pra chegar ao email e vi a foto de Moa, sorrindo, o que me fez parar, meio alegre de vê-lo, e ter a terrível notícia que contei aqui resumidamente. A descrição da cena está no Yahoo! As informações vieram da Secretaria de Segurança Pública da Bahia. Fundador do Badauê, compositor, mestre de capoeira, Moa vive na história real da cidade e deste país”.

Veja a mensagem de Caetano: https://www.youtube.com/watch?v=IAJrLCIasiE

Daniela Mercury escreveu: “Que tempos são esses? Mestre Moa, meu maior respeito pelo senhor. Morreu lutando contra o que sempre lutou: a intolerância. Seguiremos aqui lutando sua boa luta. À família, meu abraço mais fraterno”.

O enterro do mestre capoeirista aconteceu na tarde de ontem sob forte emoção no Cemitério Quinta dos Lázaros, em Salvador, com a presença de amigos, entre os quais, o cantor Tatau, e o presidente do bloco afro Ilê Aiyê, Antonio dos Santos, o Vovô do Ilê. Um grupo de amigos capoeiristas se reuniu durante o enterro para cantar canções ao toque de berimbaus e lembrar a importância de Moa para a capoeira. Do lado de fora do cemitério, após o enterro, outro grupo fez uma roda de capoeira em homenagem à Moa.

O assassino, identificado como Paulo Sérgio Ferreira Santana, está preso. Segundo testemunhas o ataque aconteceu, simplesmente, porque Moa disse ser contra o candidato do PSL, Jair Bolsonaro e que tinha votado nos candidatos do PT.

 


Artigos Relacionados
Negros paulistas reiteram apoio a França e entregarão documento com demandas
Negros de SP apresentarão demandas ao governador Márcio França
Negros de São Paulo lançam manifesto em apoio a Márcio França
Jovem diz a Polícia ter sido barrado em espaço do Carrefour por ser negro
Twitter
Facebook
Todos os Direitos Reservados