10 de Dezembro de 2019 |
Última atualização :
Comentamos
Ativista negra se declara inocente e acusa justiça seletiva
15/03/2019
Carrefour paga pela cadela Manchinha, o que nega à vítimas de discriminação
Da Redação, com informações das Agências

S. Paulo - O Carrefour terá de pagar R$ 1 milhão de reais no caso da cadela Manchinha, morta a golpes de barra de ferro desferidos por um segurança incomodado com a presença do animal, que costumava se abrigar à espera de comida, na loja da Avenida dos Autonomistas, em Osasco.

Pressionada pela repercussão do caso, que provocou manifestações de protesto promovidas por entidades de defesa dos animais, a rede fechou acordo com o Ministério Público de S. Paulo, em que se compromete a destinar a quantia a um fundo a ser criado e administrado pelo município de Osasco para combater os maus tratos aos animais.

O caso aconteceu no dia 28 de novembro do ano passado e ganhou repercussão nacional pelos protestos em frente à loja, a mesma em que, no dia 07 de agosto de 2.009, o vigilante da USP, Januário Alves de Santana, por ser negro, foi tomado por suspeito do roubo do próprio carro - um EcoSport -, perseguido e torturado por meia hora nos corredores, por seguranças.

Menos valia humana

A quantia é muito superior a média de valores que o Carrefour e as demais redes de varejo aceitam pagar em acordos extra-judiciais, quando são denunciadas por casos de discriminação racial em que negros são vítimas, que acontecem com frequência. No caso das redes Carrefour, Extra e Walmart, quando acionadas judicialmente, os valores, em geral, não chegam aos dois dígitos.

Esse tipo de política não é exclusividade das redes de hipermercados. Esta semana, o Governo de S. Paulo tornou pública a proposta de indenizar com R$ 100 mil, as famílias de cada vítima do massacre praticado pelos dois atiradores da escola Raul Brasil, de Suzano, desde que não entrem com pedidos de indenização na Justiça.

Destinação

O Termo de Crompromisso anunciado nesta sexta-feira (15/03) estabelece que, do total, R$ 500 mil serão destinados a esterilização de cães e gatos; R$ 350 mil a medicamentos para animais do Hospital do Municipal Veterinário, ou que estejam no canil municipal, e os outros R$ 150 mil restantes para aquisição e entrega de rações para associações, ONGs e outras entidades de cuidado aos animais na cidade de Osasco.

 

 


Artigos Relacionados
Bolsonaro nomeia capitão do mato para Fundação Palmares
Violência e truculência fascista marcam o Dia da Consciência Negra
MP denuncia Carla Campos, de S. Carlos, por injúria racial
Cemitério dos Aflitos, em S. Paulo, será considerado de utilidade pública
Twitter
Facebook
Todos os Direitos Reservados