21 de Março de 2019 |
Última atualização 17:37
Comentamos
Jovem negro não teve chance. Foi morto por segurança com um mata leão
15/03/2019
Carrefour paga pela cadela Manchinha, o que nega à vítimas de discriminação
Da Redação, com informações das Agências

S. Paulo - O Carrefour terá de pagar R$ 1 milhão de reais no caso da cadela Manchinha, morta a golpes de barra de ferro desferidos por um segurança incomodado com a presença do animal, que costumava se abrigar à espera de comida, na loja da Avenida dos Autonomistas, em Osasco.

Pressionada pela repercussão do caso, que provocou manifestações de protesto promovidas por entidades de defesa dos animais, a rede fechou acordo com o Ministério Público de S. Paulo, em que se compromete a destinar a quantia a um fundo a ser criado e administrado pelo município de Osasco para combater os maus tratos aos animais.

O caso aconteceu no dia 28 de novembro do ano passado e ganhou repercussão nacional pelos protestos em frente à loja, a mesma em que, no dia 07 de agosto de 2.009, o vigilante da USP, Januário Alves de Santana, por ser negro, foi tomado por suspeito do roubo do próprio carro - um EcoSport -, perseguido e torturado por meia hora nos corredores, por seguranças.

Menos valia humana

A quantia é muito superior a média de valores que o Carrefour e as demais redes de varejo aceitam pagar em acordos extra-judiciais, quando são denunciadas por casos de discriminação racial em que negros são vítimas, que acontecem com frequência. No caso das redes Carrefour, Extra e Walmart, quando acionadas judicialmente, os valores, em geral, não chegam aos dois dígitos.

Esse tipo de política não é exclusividade das redes de hipermercados. Esta semana, o Governo de S. Paulo tornou pública a proposta de indenizar com R$ 100 mil, as famílias de cada vítima do massacre praticado pelos dois atiradores da escola Raul Brasil, de Suzano, desde que não entrem com pedidos de indenização na Justiça.

Destinação

O Termo de Crompromisso anunciado nesta sexta-feira (15/03) estabelece que, do total, R$ 500 mil serão destinados a esterilização de cães e gatos; R$ 350 mil a medicamentos para animais do Hospital do Municipal Veterinário, ou que estejam no canil municipal, e os outros R$ 150 mil restantes para aquisição e entrega de rações para associações, ONGs e outras entidades de cuidado aos animais na cidade de Osasco.

 

 


Artigos Relacionados
No Brasil e no mundo, só uma pergunta: quem mandou matar Marielle Franco?
Jovem negro morto por segurança do Extra estava a caminho de clínica para se tratar
Diretora da Vogue Brasil cai após repercussão de festa
Elisa Lucas é homenageada como personalidade negra em Natal
Twitter
Facebook
Todos os Direitos Reservados