22 de Setembro de 2020 |
Última atualização :
Comentamos
Ativista negra se declara inocente e acusa justiça seletiva
29/07/2020
Testemunho para a história
Márcio Alexandre Martins Gualberto

É jornalista, ativista do movimento negro, babalawo e sacerdote de Ifá

Quando o governo Lula estava dando dois bilhões em publicidade para as seis famílias que controlam a imprensa em nosso país, fomos convidados pela Matilde Ribeiro, à época ministra da Seppir, eu e vários amigos e amigas que tocavam a mídia negra. Eu com Afirma - Revista Negra Online e o meu blog Palavra Sinistra, Dojival Vieira com o Afropress e tantos outros.

A ministra nos disse textualmente que o Gushiken, que era o cara da comunicação do governo, ia nos dar 40 mil reais para tocar nossos projetos e que SE nós provássemos que sabíamos fazer comunicação, eles nos dariam mais.
 
Eu disse à ministra que nós não éramos pombos pra viver de migalhas. Dojival também falou um monte e abandonamos a reunião. Começou ali o nosso calvário pois passamos a ser tratados como inimigos do governo.
 
O mais interessante da proposta da ministra é que os 40 mil não eram para cada uma das instituições convidadas. Era pra dividir entre nós, o que daria uns 700 reais pra cada um. Uma verdadeira humilhação.
 
Também vi muita gente boa de rádio comunitária ser presa e desistir do seu projeto porque a ordem do governo Lula era fechar as rádios, prender seus dirigentes e DESTRUIR seus equipamentos. Tudo gente pobre, militante fudido que deu anos e anos de sua vida em prol da comunicação popular tendo sua vida destruída por uma gente que ele ajudou a eleger com o seu trabalho.
 
Quantas e quantas vezes quisemos fazer um debate acerca das políticas de concessão de rádios e TVs, mas o próprio governo instituía regras pra favorecer grupos evangélicos e empresariais?
A discussão sobre TV digital seria um marco para a TV comunitária mas o governo preferiu se aliar aos empresários da comunicação e nos deixar ao Deus dará?
 
Tínhamos projetos extraordinários de inclusão digital, formação e capacitação de jovens pobres em Software Livre, projetos que visavam transformar o país no maior polo do planeta sobre Software Livre e código aberto que viraram poeira nos ministérios.
 
Infelizmente foram 16 anos jogados fora pela arrogância e prepotência dessa gente de cara pálida e lisa que aparece nesse vídeo.
 
Quando se fala em traição do PT, é disso que falamos, pois o Brasil poderia ter dado um gigantesco salto de 100, 200 anos no futuro caso o PT tivesse aberto mão do seu projeto de poder em prol de algo maior.
 

 


"Este artigo reflete as opiniões do autor e não do veículo. A Afropress não se responsabiliza e nem pode ser responsabilizada pelas informações, conceitos ou opiniões do (a) autor (a) ou por eventuais prejuízos de qualquer natureza em decorrência do uso da informações contidas no artigo."
Artigos Relacionados
BRASIL REBELDE: MANIFESTO EM DEFESA DA VIDA, DA LIBERDADE E DA DEMOCRACIA
O Correio Braziliense (1808 -1822) e a Escravidão no Brasil
Estudos culturais: O jazz na sala de Aula
O protagonismo do jovem trabalhador negro e periférico
Twitter
Facebook
Todos os Direitos Reservados