7 de Junho de 2020 |
Última atualização :
Comentamos
Ativista negra se declara inocente e acusa justiça seletiva
22/04/2020
Em defesa do Estado Democrático de Direito
Estevão Silva

É presidente da Associação Nacional da Advocacia Negra (ANAN)

Como advogados, defensores do Estado Democrático de Direito, notamos o surgimento de alguns grupos que se posicionam a favor da intervenção militar e AI-5. 

Nós defendemos todas as formas de manifestações, contudo, não obstante a intervenção atentar contra o Estado Democrático, ela ataca, de morte os direitos fundamentais dos quais os negros(as), indígenas e pobres são seus principais usuários. Destarte não é possível que qualquer um de nós engrossemos estas fileiras de fascistas recalcados.

Nesta disputa pelo fantasioso Estado Democrático de direito, nós negros(as) do Brasil, defendemos a democracia, mas não como posta desde a proclamação da República(1889) até a presente data, em que os negros continuam sem a devida representatividade e, principalmente, sem governos que respeitem e apliquem as leis, tratados e convenções nacionais e internacionais que garantam os direitos humanos.

Queremos um Estado Democrático de Direito compromissado com o respeito aos direitos fundamentais de todas as parcelas da população, para que se aplique o Direito à luz do princípio da justa medida, que se aplique o direito a igualdade formal e material para que numa ação de freios e contra pesos, o Estado trate os iguais de forma desigual e corrija tendências de práticas que resultem em políticas públicas capazes de reforçar e manter preconceitos e discriminações entre os seres humanos, em especial àquelas caracterizadas por intolerância aos valores étnicos e que, ao longo da História, foram registrados, inclusive, o apoio do Estado.

Nota da Redação


Estevão Silva é advogado, jornalista. Graduado em Direito pela UNESP. Lançou o livro: “Vozes Emergentes: Educação e questões Étnicos Raciais” - 2016. Trabalho no escritório Estevão Silva Advogados Associados. Fundador e presidente da Associação Nacional da Advocacia Negra - ANAN, presidente da ONG: “Clã da Negritude”. É advogado do “Instituto Cultural Filadélfia” e a da “Associação Internacional Islâmica para o Ensino do Alcorão e Sunnah no Brasil - Ummah Brasil”, da Associação Beneficente Islâmica Sunita de Botucatu e Região. É membro da Comissão do Advogado no Tribunal do Júri. Consultor e palestrante na área de discriminação e racismo.

E-mail: estevaoas@hotmail.com - Fone: (11) 9 6833-2272

 

 


"Este artigo reflete as opiniões do autor e não do veículo. A Afropress não se responsabiliza e nem pode ser responsabilizada pelas informações, conceitos ou opiniões do (a) autor (a) ou por eventuais prejuízos de qualquer natureza em decorrência do uso da informações contidas no artigo."
Artigos Relacionados
O protagonismo do jovem trabalhador negro e periférico
O último suspiro
As correntes da escravidão no século XXI
Enfrentar os fascistas em todas as frentes
Twitter
Facebook
Todos os Direitos Reservados