O grupo de dança e canto a capela da África do Sul, Kholwa Brothers, responsável pela trilha sonora de Milágrimas, cantou e agradou o público que lotou o Teatro do SESC da Vila Mariana, nesta quarta-feira, 30/01. Aplaudidos de pé, e com pedido insistente de bis, os Kholwa Brother voltam ao palco nesta quinta-feira, para um show de despedida do público brasileiro.
A entrada é franca e os ingressos estarão à disposição na bilheteria do Teatro para quem queira ver um espetáculo de beleza e originalidade e aprender a força da cultura Zulu.
Depois de brilhar no Brasil em 2005, quando participou da trilha sonora do espetáculo Milágrimas dirigido por Ivaldo Bertazzo, o grupo de dança e canto a capella da África do Sul, o grupo faz com a desta quinta-feira, a terceira apresentação em S. Paulo. Os Kholwa já haviam se apresentado no dia 25/01, no Museu do Ipiranga para como parte das comemorações pelos 454 anos da cidade de S. Paulo.
Nos três shows, o grupo se apresenta somente com o que tem de mais forte: o canto a capella, sem a participação de nenhum outro instrumentista brasileiro.
O Grupo
O grupo de canto e dança tradicional de coro a capella, os Kholwa Brothers, que foi formado em Durban em 1990 (inicialmente com nove membros sob a liderança de Derrick Mlambo) se apresenta com quatro integrantes das vozes soprano, alto, tenor e baixo, cantando as músicas tradicionais de sua terra, a província Kwazulu Natal, no norte da África do Sul, sem qualquer acompanhamento instrumental além da percussão produzida no próprio corpo.
Com Mandela
A palavra Kholwa, em Zulu, significa “um crente”. Os Kholwa Brothers já participaram do SomkeFestival, o primeiro encontro do presidente Nelson Mandela e a população após sua libertação da prisão. O grupo também já participou de diversos festivais internacionais como os Splashy Fen Festival, Standard Bank Jazz Festival, Festival Africano Renaissance, United Nations Conferência Mundial Contra o Racismo, o Festival Internacional de Escritores e Compositores, além do BRAVO – CHINA – ÁFRICA DO SUL. No Projeto internacional chamado The Lion Collection, a convite do deputado Rob Sayer, compuseram uma canção para as crianças do mundo chamada “Shananana”.
Origem e tradição
Os Kholwa Brothers, fiéis à origem do nome do grupo, acreditam na força expressiva da música e da dança tradicional. Para o povo Zulu, música e dança são formas de celebrar ou maneiras de mostrar felicidade quando a pessoas estão juntas. Segundo o líder Derrick Mlambo, o grupo pretende com a sua performance restaurar a paz, a humanidade e a união entre as pessoas do continente africano e do mundo.
A arte do grupo é representada pela música tradicional INGOMA, com doze gêneros diferentes. E tradicional aqui deve ser entendido como o modo de vida encontrado no passado na tribo Zulu da África do Sul, revelado por meio dos sentimentos, da alma, do sangue, e repaginados e recriado pela cultura urbana.
Gênero musical
A Isicathamiya é o gênero musical mais desenvolvido pelos Kholwa Brothers. Ele surgiu entre os homens de Kwazulu Natal que foram trabalhar na minas de ouro em Johanesburgo ainda no tempo do apartheid. A experiência exigiu um afastamento da família e para abrandar o sentimento da saudade, reinventaram os cantos e danças dos guerreiros zulus de forma a não incomodar os mineiros que preferiam descansar após a longa jornada de trabalho.
Substituíram então as vigorosas percussões corporais por gestos suaves como os movimentos de um gato. Os tons altos – antes reservados às mulheres – foram substituídos pela vozes masculinas. Essas novas experiências foram levadas de volta para a gente de Kwazulu Natal e conquistaram a África do Sul.
Ficha técnica
Derrick Mlambo – líder e fundador do grupo, coreógrafo e vocal
Francis Mlambo – Bass Singer
Bonokwakhe Mbambo – Alto Singer
Mike Mbambo – Tenor Singer
Sonorização: Ernani Napolitano
Produção Executiva: Plataforma Brasil Holanda e Circus Produções Culturais
Realização: Prefeitura Municipal de São Paulo e SESC SP
Serviço
Show do Grupo sul africano Kholwa Brothers
Dia 31/01, Quinta-feira, às 21h
Onde: SESC Vila Mariana (Rua Pelotas, 141 – Vila Mariana)
Ingressos: Entrada Franca para leitores da Afropress

Integrantes do Grupo Kholwa Brothers, da África do Sul, em foto de Roberto Linsker