Meus amigos e minhas Amigas,

Tão nefasto e nocivo quanto o racismo e a exclusão sócio-economico-educativo-cultural imposta à negritude brasileira, é o conluio politiqueiro, entreguista e mercantilista dos que se autointitulam líderes dessa mesma negritude.

Nas páginas sociais, no youtube, sites e blogs, feitos urubus famintos, lá estão negros e negras, que se auto intitulam líderes de movimentos negros, apoiando com veemência os governos dos quais estão chafurdados e encabrestados. Falam e exaltam os avanços e conquistas de espaços e de saberes da raça. Só que a raça não toma conhecimento, não vê e nem recebe essas tais conquistas eavanços. Só essas e esses tais líderes.

Não bastasse colocarem a Causa Negra e a Causa Quilombola nos balcões de negócios encabeçados pelo lixo chamado SEPPIR – e seus similares estaduais e municipais – agora, para esconderem suas inutilidades, oportunismos e hipocrias, criaram uma tal de direita calculista branca ao qual lançam a culpabilidade do racismo e todas as mazelas lançadas contra a negritude. Para essa turminha, boa para a negritude é a esquerda. Essa mesma esquerda, há dezesseis anos no poder; tempo em que aumentou em 46% o genocídio de jovens negros praticada por forças do Estado. E não teve nenhum avanço as legítimas conquistas dos Quilombolas pelas suas terras.

Nas matérias exibidas nos noticiários televisivos anunciando o cancelamento de 40% dos inscritos no FIES (Pátria educadora?) a maioria dos jovens que aparecem na tela chorando e lamento a exclusão do programa é NEGRO. Não seria o caso de se investigar que critério o governo usa para excluir os jovens beneficiados do programa? Seria pela cor da pele? Ou vamos deixar para lá porque a esquerda sabe o que faz?

Em Alcântara (MA), de grande população negra, o prefeito esquerdista do PT fechou mais de 30 escolas, deixando fora das salas de aulas centenas de crianças e jovens negros. Cadê o lixo SEPPIR e suas centenas de similares estaduais e municipais? Cadê os movimentos negros? Aonde estão os líderes negros? E os Conselhos Estaduais e Municipais dos Negros o que fazem ou farão para reverter esse crime? Ou vamos deixar assim porque a esquerda sabe o que faz?

E ainda me acusam de ser porta voz dos brancos. Os caras são pajens e serviçais de politiqueiros brancos e eu é que eu sou o por ta voz? 

Aqui no Rio, tem um líder negro, presidente de uma desses milhares de siglas inúteis, que me acusa de ser cúmplice dos brancos, mas ele próprio age como papel higiênico reciclado de uma deputada branca. Ela manda, ele obedece. Ocupa as redes sociais para enaltecer e agradecer a esquerda pelas conquistas e avanços da negritude.

Ainda, aqui no Rio, há um outro líder, da mesma estirpe, tal qual incompetente de carteirinha, puxa saco de políticos, do PT e do lixo chamado SEPPIR, que grava mensagens postadas no youtube enaltecendo o governo do PT e as suas conquistas de saberes para a negritude. Zombam da própria raça e dos infortúnios lançados contra ela.

Acontece que esses líderes não conhecem os bairros da periferia de Duque de Caxias, São João de Meriti, Belford Roxo e Nova Iguaçu, de grande maioria populacional negra, que dependiam do seu sustento e da sua família, do polo de óleo e gás da Refinaria Duque de Caxias, a REDUC, em Campos Elísios. Com a roubalheira na Petrobrás, patrocinada pelos partidos de esquerda, desseslíderes, 90% dos trabalhadores negros e nordestinos perderam seus empregos. É quase uma situação de calamidade pública o número de pais e mães de família e jovens negros desempregados na Baixada Fluminense.

E não para por ai…

Outro grande empreendimento petrolífero, as obras do COMPERJ, em Itaboraí, região metropolitana do Grande Rio, encontram-se na mesma situação e, talvez, pior. Cidadãos e cidadãs, de grande maioria negra, pais e mães de família e jovens negros estão com as luzes de suas casas cortadas; estão com ordem de despejos por não ter condição de pagar o aluguel; obrigados a tirar os filhos das escolas particulares por falta de pagamento, sem conseguir vagas nas escolas públicas; estão sem poder dar o sustento digno aos seus filhos; não tem dinheiro para pagar o alto custo das passagens para irem à busca de outra opção de trabalho em outra cidade ou região.

E os movimentos negros exaltando a esquerda boazinha para os negrosque tem propiciado as conquistas e avanços da negritude! Isso é piada ou deboche? São líderes negros ou puxa sacos dos governos das quais são pajens, capitães do mato e papel higiênico reciclado?

Tão cruel quanto o racismo imposta à raça negra é a complacência desses e dessas líderes com o sistema, que está lançando os seus iguais num hediondo holocausto social. São verdadeiros capitães do mato da modernidade e feitores da nova ordem social, que contribuem para marginalização da sua própria raça. 

Esses líderes negros são plantonistas do descaso e da inércia. Afloram-se raivosamente contra uma artista que publica foto das babás de seus filhos sem uniformes, mas se calam perante seus patrões, governantes responsáveis pelo genocídio dos jovens negros. No dia seguinte da morte dos doze da Cabula, os principais autointitulados líderes negros da Bahia aparecerem numa foto sorridentes ao lado do governador e do secretário de segurança, que apoiaram a ação genocida da polícia.

Aqui, no Rio, o manifesto chulo e pífio da Comissão da Igualdade Racial da OAB sobre as crianças e adolescentes negros, retirados à força do ônibus pela PM, quando se dirigiam ao lazer da praia, omitiu propositadamente o nome governador Pezão, do Secretário de Segurança e do comandante da Polícia Militar. Essas três autoridades foram à imprensa declarar apoio irrestrito às ações racistas e sem sentido da PM. Para que então essa tal Comissão existe? Existe como sucursal do PT na OAB, e para blindar os genocidas da raça negra, seus patrões e senhores. É de se admirar que uma instituição tão honrosa e de um passado de lutas pelo estado de direito, como a OAB, empreste sua honrosa sigla a uma inutilidade desse calibre!

Dos inúmeros e-mails que recebo semanalmente, de todo o país, há um grande número de mensagens de negras e de negros, tão indignados quanto eu. Todos revoltados contra esses vendilhões da raça chafurdados nos partidos políticos, que se apresentam como salvadores e defensores da raça, que na verdade transformaram a Causa Negra e Causa Quilombola num hediondo balcão de negócios. Só eles é que tem razão e não admitem pensamentos aos seus.

Nos e-mails recebidos, alguns atores e atrizes negros reclamam bastante da perda de espaço nas novelas por causa da ingerência dos movimentos negros. Qualquer cena com negros, os urubus se juntam a massa falida chamada SEPPIR para atacar os novelistas e as emissoras de TVs. Resultado: para evitar problemas com os vendilhões da raça, personagens negros estão sumindo das dramaturgias. Eis o trecho de um dos e-mails que recebi de uma jovem atriz carioca:

"A série O Sexo e as Negas em nada agrediu ou constrangeu a mulher negra, mas os caras dos movimentos negros, sem nos consultar, partiram para a guerra contra o Falabella e a Globo. Resultado: a novela do Emanuel Carneiro, A Regra do Jogo, teve vários personagens negros transformados em personagens brancos. Tudo para que o autor e a Globo não tivessem que enfrentar a fúria desses caras, que você chama de vendilhões da raça. Na novela há uma comunidade chamada Morro da Macaca. A jornalista Fabíola Riport, do site R7, publicou que o autor achou por bem colocar uma branca, a Suzana Vieira, vivendo uma personagem que seria de uma negra. Um outro personagem, que seria um Rapper negro, está sendo vivido por um ator branco.  Eu pergunto: que benefício a gente que é atriz ganhou com o movimento negro metendo o nariz onde não foi chamado?Quem vai agora dar emprego para os atores e as atrizes negras? Estou puta da vida com esses caras do movimento negro. Que raiva!!!"

O desabafo dessa jovem atriz não é solitário. Existem dezenas de outros e-mails recebidos, com pessoas tão indignadas quanto.

Muitos desses e-mails, também alertam-me para tomar cuidado contra essa turminha. São todos perigosos. Ameaçaram de morte até mesmo o ícone da raça, o ex-ministro Joaquim Barbosa. Os caras são capazes de tudo para não perderam a boquinha conquistada à custa do sofrimento, das dores e das mazelas imposta aos seus irmãos de raça.

Agora mesmo um bonde lotado de líderes negros voou do Rio para Brasília, com passagem pagas ninguém sabe por quem, para exigir do governo federal que não acabe ou diminua o cabide de emprego do lixo chamado SEPPIR. Para isso os caras são bons: fazem de tudo pela manutenção das diversas boquinhas que os sustentam e os mantém na atividade de venda da raça negra.

Por causa da minha posição contrária à nefasta prática de negociata da raça, pelo próprio cidadão e cidadã da raça, venho sofrendo boicotes em eventos negros e similares. Contra mim, o racismo interno há tempo já suplantou o racismo branco. Fora as ameaças, xingamentos e calúnias. Todas devidamente registradas e cadastradas nos órgãos competentes.

Não estou querendo aparecer ou chamar atenção. É o meu desejo somente de vir a minha raça deixar de ser explorada e vilipendiada pelos seus próprios iguais. Bem sei que é uma utopia, mas sonho em vir a negritude politizada, sim, e participando de decisões políticas. Afiliada aos partidos políticos, mas sem estar encabrestada por eles ou a eles. Participar de atividades políticas é o direito de todos, mas usar essa atividade para negociar o infortúnio da raça negra é hediondo, nefasto e indigno.

Ao invés de apoiarem um governo falido, que está massacrando a negritude com sua política de recessão, porque os movimentos negros não convida esse mesmo governo para reativar as obras das refinarias que estão paradas. Elas são necessárias e fundamentais não somente à raça negra, mas a todo o nosso Brasil.

Usar as páginas sociais, e-mails, blogs e sites para defender os acusados da roubalheira da Petrobras, elogiar esse governo e compactuar contra as mazelas e infortúnios impostos à negritude é uma grande traição à Raça Negra. Raça Negra que já por demais explorada.

Foi ou não é?

Abraços a todos (as).

Flávio Leandro

 

Flávio Leandro