Florianópolis – O ativista do Movimento Negro e secretário de Políticas Sindicais do Sindicato dos Trabalhadores da Indústria de Energia de Santa Catarina (Sinergia), Wilson Martins Lalau, disse que a ação dos movimentos sindical e negro catarinenses deve ser o mais ampla possível, em defesa, não apenas da secretária Naida Rosane Marques, que está denunciando racismo e assédio moral por parte do SESI – Serviço Social da Indústria, que é ligado à Federação das Indústrias de Santa Catarina (FIESC).
Ele manda um recado às vítimas desse tipo de caso, que sofrem caladas e não denunciam. “Se você não acredita que tem alguém que lhe defenda, há. Não se envergonhe de ser negro, porque o negro participou de todo o processo histórico de construção dessa nação, inclusive gerando riqueza cuja participação nessa riqueza está sendo negada até hoje. Nós temos direitos e temos de ir em busca desse direito e o que a Naida está fazendo é um exemplo que serve para todos”, afirmou.

Da Redacao