Salvador/BA – A Associação Cultural de Preservação do Patrimônio Bantu – ACBANTU – divulgou nota (“A ACBANTU chora por um guerreiro”) lamentando a morte do professor e historiador Ubiratan Castro, ocorrida ontem, quinta-feira (03/01), ex-presidente da Fundação Cultural Palmares e diretor geral da Fundação Pedro Calmon, ligada ao Governo do Estado da Bahia.

A cerimônia de cremação do corpo do historiador está acontecendo neste momento no Cemitério Jardim da Saudade, em Salvador. O governador Jacques Wagner decretou luto oficial por três dias.

Leia, na íntegra, a Nota.

A ACBANTU CHORA POR UM GUERREIRO

A Associação Cultural de Preservação do Patrimônio Bantu – ACBANTU está de luto.

O professor, doutor, historiador, Pai, Irmão, Avô, Taata Mungua (Padrinho) da ACBANTU e diretor-geral da Fundação Pedro Calmon, Ubiratan Costa de Araújo morreu por volta de 07h00 desta quinta-feira – 03/01/2013. Faleceu, no Hospital Espanhol, em Salvador. O nosso Taata tinha 64 anos e sofria com problema  renal crônico.

No primeiro mandato do presidente Lula, o professor Bira, como é carinhosamente chamado, trabalhou como Presidente na Fundação Cultural Palmares. Após seu retorno a Bahia assumiu a direção geral da Fundação Pedro Calmon em  2007. Ele  também já foi diretor do Centro de Estudos Afro-Orientais da Ufba (CEAO), presidente do Conselho para o Desenvolvimento das Comunidades Negras de Salvador (CDCN) e era membro da Academia de Letras da Bahia.

No ano de 2000, quando consultamos sete pessoas entre Povos de Terreiros e acadêmicos negros, expondo sobre a viabilidade  da criação de uma nova Instituição que trabalhasse com os terreiros de candomblé da nação angola, encontramos o importante apoio do Prof. Bira que ainda nos apresentou ao Cônsul do Gabão e foi o nosso primeiro contato com organismo internacional. Desde então o chamamos de taata mungua (padrinho).

Foi o Prof. Bira que convocou a ACBANTU a realizar a primeira e histórica distribuição emergencial de alimentos para Terreiros no ano 2004. Ele nos acompanhou, nos inseriu enquanto Povos de Terreiro na dinâmica do Fome Zero, da luta pelo Direito Humano à Alimentação e sobretudo, nas ações culturais de nossa instituição. Ele também foi responsável pela entrega de Certidões a centenas de Comunidades Quilombolas em todo o Brasil.

Muitas vezes, em momentos de grandes desafios, nós o procuramos e sempre encontramos nele total acolhida e conselhos preciosos que marcam até hoje nossa existência ao longo de doze anos de história.

Sendo assim, decidimos que a Décima Primeira Mesa Redonda do Caboclo “Camarada Amigo Meu”,  a ser realizada no mês de julho deste ano,  entre Povos Indígenas e Povos de Terreiro, será em  homenagem e em agradecimento ao nosso taata, demonstrando assim nossa eterna gratidão por sua tão grande luta. Na verdade, o professor Bira foi a primeira pessoa que recebeu a nossa homenagem no ano de 2002.

A sua contribuição para nós Povos de Terreiro e Comunidades Quilombolas foi muito marcante e não poderemos jamais esquecer. O Governador da Bahia, Dr. Jacques Wagner decretou luto oficial de 03 dias.

Com essa perca para todo o Brasil a ACBANTU chora  de luto. Por isso, não estaremos funcionando nos dias 04 e 05/01/2013. Somente reabriremos  na segunda feira 07/01/2013.

Dada fidi fafá Kenê. “Deus o tenha no reino da glória”.

A Diretoria da ACBANTU

 

Da Redacao