Rio – O advogado Humberto Adami Jr., presidente do Instituto de Advocacia Ambiental e Racial (Iara), agradeceu nesta terça-feira (08/01), em seu próprio nome, das irmãs Hilda e Regina e de toda a família as manifestações de solidariedade pela morte do pai, Humberto Adami, falecido aos 82 anos, no último dia 31 de dezembro passado. Ele já se encontrava hospitlizado, com a saúde bastante debilitada, e a morte ocorreu por falência múltipla dos órgãos.
“Gente do Brasil inteiro manifestou a solidariedade e, em nome da família quero agradecer sensibilizado as manifestações recebidas”, disse Adami.
Além dos três filhos, “seo” Adami, baiano de Salvador, deixou 8 netos. Ele foi para Brasília em 1.960 para participar da fundação da Capital Federal, o mesmo caminho seguido por milhares de nordestinos que viraram “candangos”, como até hoje são conhecidos os pioneiros.
Seu enterro, no Cemitério de Ricardo de Albuquerque, Rio, reuniu centenas de pessoas, o mesmo ocorrendo com a missa, nesta segunda-feira, às 18h, na Igreja Nossa Senhora de Copacabana.

Da Redacao