S. Paulo – O lançamento da campanha em defesa da liberdade de culto no Brasil e do diálogo entre as religiões – previsto anteriormente para esta quinta-feira, 15/12, foi adiado para o final do mês em data e local a serem definidos, em virtude da repercussão e da adesão de lideranças negras de várias denominações e de ativistas dos direitos humanos.
Por conta disso, os organizadores consideraram que o espaço do Tuca – Teatro da Universidade Católica da PUC seria pequeno e resolveram adiar o lançamento da campanha para ampliá-la. A campanha foi lançada no último domingo por lideranças negras e de entidades de direitos humanos, preocupadas com a escalada de perseguições contra as religiões de matriz africana, movida em especial pela Igreja Universal do Reino de Deus.
A Universal intensificou os ataques, em virtude de estar perdendo na Justiça em todas as instâncias, a ação movida por entidades negras e Ministério Público Federal, que exigem direito de resposta nas emissoras de propriedade da Igreja – as Redes Record e Mulher.
A proposta é alertar a sociedade brasileira sobre a ameaça à liberdade de culto e os perigos do fanatismo e da intolerância religiosa. No ato que será organizado em S. Paulo e que se pretende que se estenda por todo o país, será feito desagravo ao Secretário de Justiça e Defesa da Cidadania, Hédio Silva Jr., que vem sendo sistematicamente atacado pela Igreja Universal e sua Imprensa por defender a liberdade de culto e o diálogo entre as religiões.

Da Redacao