Porto Alegre – O advogado Onir Araújo, que defende negros e quilombolas gaúchos, recebeu na última segunda-feira (15/08), a terceira carta com ameaças de morte, que teriam sido enviadas supostamente por policiais da Brigada Militar do Rio Grande do Sul. “Prezado-Dr. Onir, Amante de Negros do Brasil: Continue mantendo-o bico fechado…Estamos rastreando todos os seus passos!”, diz a carta, entregue pelo advogado ao Departamento Estadual de Investigações Criminais.
Ele suspeita que os autores sejam os mesmos que fizeram as ameaças anteriores: policiais da Brigada Militar de Jaguarão, incomodados com o fato dele ter assumido a defesa do estudante Helder Santos, em março deste ano.
O estudante foi expulso de Jaguarão depois de receber ameaças. Todos os policiais da Brigada envolvidos já foram denunciados pelo Ministério Público Militar do Rio Grande do Sul.
Na nova carta, os autores das ameaças dizem que “em vários encontros realizados com o Comando Geral, coronel Sérgio Abreu e o Secretário de Segurança, grande amigo Airton Michel, ambos garantiram que o caso está encerrado administrativamente e “estão no controle de tudo”.
Em março, quando o caso foi denunciado, o Governo do Estado, o Ministério Público Estadual e o Governo Federal anunciaram que iriam investigar o abuso de autoridade e formação de milícia denunciada em uma das cartas anônimas. Até agora, porém, nenhuma providência foi tomada e as ameaças continuam.
A nova carta recebida agora foi encaminhada ao DEIC e notificado o Comandante da Brigada, Coronel Sergio Abreu, e o Secretário de Segurança, Airton Michels.

Da Redacao