S. Paulo – A Afropress e o canal +Direitos Humanos promovem nesta quinta-feira, 05 de agosto, a partir das 18h, debate para discutir os termos do Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) assinado pelo Carrefour com as Ongs Educafro e Centro Santo Dias de Direitos Humanos, à título de indenização pelo assassinato do soldador Beto Freitas, espancado até a morte numa loja do bairro Passo D’Areia, em Porto Alegre, em 19 de novembro do ano passado – véspera do Dia Nacional da Consciência Negra.  “Caso Beto Freitas: Reparação ou marketing” será o tema do debate.

O Acordo, que também é assinado pelos Ministérios Públicos da União e do Rio Grande do Sul, da Defensoria gaúcha e da União e do Ministério Público Federal do Trabalho, vem sendo questionado por centenas de entidades negras e antirracistas de todo o país, reunidas pela Coalização Negra por Direitos. Contraditóriamente, a Educafro também integra a Coalização, porém, por orientação do frei David Raimundo dos Santos foi protagonista do acordo, sem procuração das demais entidades do país.

Participarão do debate, que terá mediação do jornalista responsável pela Afropress, Dojival Vieira, e pelo coordenador do canal +Direitos Humanos, advogado Rodrigo Sérvulo, os advogados da Educafro e do Centro Santo dias, respectivamente, Thiago Tobias e Márlon Reis, este último um dos signatários do TAC. Também participarão os advogados Onir Araújo, da Frente Quilombola gaúcha, e André Moreira, advogado e militante do movimento negro capixaba. Ambos questionam os termos do acordo e a legitimidade da Educafro, uma entidade com sede em S. Paulo, para representar todas as entidades negras do país.