São Paulo – A Afropress – Agência Afroétnica de Notícias – completou neste mês de julho, dois anos de edições ininterruptas diárias, atingindo a marca histórica de 37 mil leitores/mês – fato inédito para uma mídia segmentada na temática racial no Brasil.
Embora, a primeira matéria do banco de dados seja do dia 25 de junho, sob o título “Lançada campanha anti-racista nos Estádios”, foi só a partir do mês de julho daquele ano, após a cobertura da Conferência Nacional de Promoção da Igualdade Racial que a Agência passou a operar em tempo real e de forma contínua com pelo menos uma edição diária. Antes, em outubro de 2.004, o publicitário e webdesigner Gabriel Silveira, havia desenhado o lay out e feito os primeiros testes experimentais.
Durante esse tempo, a Afropress só ficou fora do ar, quando sob ataque de racistas. Por conta deles, teve de trocar por três vezes de provedor. Os ataques continuam sendo investigados pelas Polícias, Civil, de S. Paulo, e Federal. Agora, os agressores ameaçam a integridade física dos editores da Afropress.
Em pelo menos um deles, o inquérito resultou em um processo aberto pelo Ministério Público de Brasília, contra o estudante Marcelo Valle Silveira Mello – o primeiro caso de um acusado da prática de racismo na Internet – a sentar no banco dos réus no Brasil, com base na Lei 7.7116/89. O estudante está sendo processado pela 6ª Vara Criminal de Brasília e pode pegar de 2 a 5 anos em cada um dos delitos de que é acusado. A sentença deve sair ainda este ano.
Jornalismo de Resistência
Segundo o jornalista Dojival Vieira, a Afropress tornou-se um símbolo de resistência aos ataques e uma referência de informação de qualidade com foco na temática étnico-racial no Brasil e também em outros países. “Cerca de 25% dos nossos leitores são de outros países, que sentem falta de informações sobre uma temática, que no Brasil deveria ocupar toda a mídia, não fôsse o racismo institucional praticado pelos grandes meios de comunicação. Somos a segunda maior nação negra do mundo e é espantoso que continuemos praticamente invisíveis para a grande mídia. Na Afropress buscamos fazer jornalismo;jornalismo de resistência”, afirma.
A jornalista Dolores Medeiros, coordenadora de Redação, considera que as dificuldades enfrentadas durante esse período só refletem “o quanto é difícil ser negro em um país racista, como o Brasil”.
Até o final do ano, segundo Dolores, a Afropress deve começar os testes para a implantação da Redação, numa ação afirmativa que absorverá estudantes, na sua maioria, negros e uma rede de correspondentes pelas cinco regiões do país, o que permitirá maior amplitude na cobertura e velocidade na postagem. Para tanto, aguarda definições de parcerias que viabilizem a sustentabilidade do projeto.
As primeiras notícias
A abertura da I Conferência Nacional da Igualdade Racial, no dia 30 de junho de 2.005, promovida pelo Governo brasileiro, por intermédio da Seppir, foi coberta pela Afropress, dando o ponta pé inicial para o sistema de postagem em tempo real, ainda em caráter de testes. A sessão de abertura contou com a presença do Presidente Lula, e de vários ministros. “Em clima de muita emoção e com apresentações de grupos musicais representando as culturas indígena, negra, judaica, palestina e cigana, está sendo aberta neste momento, com a presença de cerca de 2.600 pessoas, entre os quais 1.150 delegados de todo o país e 150 convidados estrangeiros, a 1ª Conferência Nacional de Promoção da Igualdade Racial. O presidente Luis Inácio Lula da Silva, chegou por volta das 16h, acompanhado da ministra Matilde Ribeiro, do ministro Celso Amorim, das Relações Exteriores e do Ministro Humberto Costa, da Saúde. Ao ser anunciado Lula foi saudado, por militantes do PT, com o refrão da campanha de 2.002 “olê, olê, olê, olá, Lula, Lula”.”, relatava o editor de Afropress, jornalista Dojival Vieira, na reportagem “Defesa da Igualdade e emoção na abertura”.
Veja algumas das principias manchetes:
Defesa da Igualdade e emoção na abertura
Por: Redação – Fonte: Afropress – 30/06/2005
Brasília – Em clima de muita emoção e com apresentações de grupos musicais representando as culturas indígena, negra, judaica, palestina e cigana, está sendo aberta neste momento, com a presença de cerca de 2.600 pessoas, entre os quais 1.150 delegados de todo o país e 150 convidados estrangeiros, a 1ª Conferência Nacional de Promoção da Igualdade Racial. O presidente Luis Inácio Lula da Silva, chegou por volta das 16h, acompanhado da ministra Matilde Ribeiro, do ministro Celso Amorim, das Relações Exteriores e do Ministro Humberto Costa, da Saúde. Ao ser anunciado Lula foi saudado, por militantes do PT, com o refrão da campanha de 2.002 “olê, olê, olê, olá, Lula, Lula”.
Investigação identifica o quinto acusado
Por: Redação – Fonte: Afropress – 15/7/2005
São Paulo – O Ministério Público do Estado de S. Paulo identificou o quinto suposto responsável pela divulgação de mensagens de conteúdo racista em comunidades do Orkut na Internet. Trata-se do estudante Marcelo Vale Silveira Melo, de 20 anos, aluno do Curso de Computação da Universidade Católica de Brasília e que recentemente tornou-se calouro da Universidade de Brasília (UnB). Melo mora em Brasília e matriculou-se este ano no curso de Japonês.
O promotor Christiano Jorge Santos disse que ele já estava sob investigação por ter veiculado no Orkut expressões ofensivas à população negra.
Identificado autor de ataque a Afropress
Por: Redação – Fonte: Afropress – 09/08/2005
Brasília – O estudante Marcelo Valle Silveira Mello, 20 anos, da Universidade de Brasília, que, na sexta-feira, dia 05/08, teve os seus computadores apreendidos por decisão da Justiça do Distrito Federal, é o mesmo que atacou a Afropress – Agência Afro-étnica de Notícias, tirando o site do ar desde o dia 30 de julho passado. A Afropress volta ao ar, a partir de amanhã, 08/08.
A identificação do estudante foi possível graças às informações obtidas junto ao Provedor Hotel Web, de Curitiba, que hospedava a Afropress. Com base nessas informações, a jornalista Dolores Medeiros, coordenadora da Agência, localizou em um site de vendas o email “Br0k3d – o justiceiro”, o mesmo endereço eletrônico encaminhado a Afropress com ameaças. No site de vendas o endereço aparece como sendo de alguém que teria comprado um gato de um rapaz de Brasília.Foi por intermédio desta compra que foi possível identificar quem se esconde por trás do “br0k3d – o justiceiro”: Marcelo Mello.
Ex-apresentadora diz que TV da Gente virou pesadelo
Por: Redação: – Fonte: Afropress: Foto: Jader Nicolau – Portal Afro – 24/2/2007
S. Paulo – A jornalista, cantora e apresentadora Adyel Silva, 51 anos, (foto) que, durante quase um ano, conduziu o principal programa feminino da TV da Gente, denuncia, em entrevista a Afropress, que a emissora é um sonho que virou pesadelo. “Sinto por todos nós que acreditamos”, afirmou.
Afropress atinge mil matérias
Por: Redação – Fonte: Afropress – 19/2/2007
S. Paulo – Com a matéria “Escolas de SP empolgam Anhembi”, a Afropress atingiu, neste final de semana de carnaval, 1.000 matérias postadas. Buscando fazer jornalismo crítico, independente, com foco na temática étnico-racial, a Afropress passou a operar em tempo real a partir de 25 de junho de 2005.
Nossa primeira matéria tinha como título “Lançada na Europa Campanha Anti-racista nos estádios” e tratava da campanha contra o racismo liderada pelo jogador brasileiro Adauto, na República Theca.
Zulu é nomeado presidente
Por: Redação – Fonte: Afropress – 6/2/2007
Brasília – O arquiteto Zulu Araújo é o novo presidente da Fundação Cultural Palmares, conforme antecipou a Afropress na semana passada. O Diário Oficial da União desta terça-feira, traz despacho da Ministra da Casa Civil Dilma Rousseff, com a nomeação de Zulu, que ocupava a diretoria de Promoção, Estudos, Pesquisas e Divulgação da Cultura Afro-Brasileira.
Na semana passada, Afropress, citando fontes confiáveis antecipou que o ministro Gilberto Gil, da Cultura, já o havia escolhido para ocupar o cargo no segundo mandato do Presidente Luis Inácio Lula da Silva, em substituição ao professor Ubiratan Araújo. Zulu já vinha exercendo interinamente o cargo.
Religião Afro chora Shapanan
Por: Redação – Fonte: Afropress – 18/2/2007
S. Paulo – Foi enterrado às 11h desta segunda-feira (19/02), no Cemitério Vale da Paz, bairro Eldorado, em Diadema, o corpo do Pai Francelino de Shapanan, coordenador do Intecab – Instituto Nacional da Tradição e Cultura Afro Brasileira – coordenação de S. Paulo. O enterro foi acompanhado por dezenas de sacerdotes das religiões de matriz africana, Pais, Mães, Filhos e Filhas de Santo do ABC e da Capital.
Criança xavante morre de fome
Por: Redação – Fonte: Afropress – 8/2/2007
Cuiabá/MT – Chega a dezessete o número de crianças xavantes mortas por desnutrição em uma aldeia de Mato Grosso, entre 2006 e o começo de janeiro deste ano, segundo informou a Funai.
Outras mortes devem acontecer se não forem tomadas providências, uma vez que das 160 crianças xavantes menores de cinco anos, da Aldeia de Alto do Boa Vista (a 1.100 Km de Cuiabá) 60 estão desnutridas – 17 estão em estado grave. A mortalidade infantil na aldeia é de 235 por mil nascidos vivos, nove vezes mais que o índice nacional.
Mato Grosso do Sul, que no começo de 2005 teve ao menos 15 mortes de crianças guaranis e caiuás por desnutrição, registrou um caso durante 2006, de acordo com o médio Zelick Trajber, da Funasa.
Zulu Araújo será o novo Presidente
Por: Redação – Fonte: Afropress – 29/1/2007
Brasília – Zulu Araújo será o novo Presidente da Fundação Cultural Palmares, em substituição ao atual Presidente professor Ubiratan Araújo, segundo fontes próximas ao ministro da Cultura Gilberto Gil. A decisão já foi tomada pelo ministro e deve ser oficializada até a primeira quinzena de fevereiro.
Nos 453 anos, SP ganha Selo Diversidade
Por: Redação – Fonte: Afropress – 24/1/2007
S. Paulo – Em um café da manhã promovido em parceria com o Sindicato dos Comerciários de S. Paulo, que reuniu lideranças de 167 empresas, instituições e organizações negras e de mulheres, a Secretaria do Trabalho, apresentou oficialmente nesta quarta-feira, o Selo Diversidade no Trabalho – Cidade de S. Paulo.
O Secretário Gilmar Viana e o presidente do Sindicato, Ricardo Patah, encabeçaram a mesa dos trabalhos, da qual participaram, Caio Magri, do Instituto Ethos de Responsabilidade Social, Flávio Taiolli, do IBD – Instituto Brasileiro da Diversidade, Maryluci Farias, da Coordenadoria da Mulher e Márcia Leporacci, da Secretaria Especial de Mulheres da Presidência da República, representando a ministra Nilcéa Freire.
Abril terá de explicar contrato com grupo do apartheid
Por: Redação – Fonte: Afropress – 13/12/2006
S. Paulo – A Editora Abril, que detém entre outros veículos a Revista Veja, deve apresentar até o final deste mês, ao juiz Régis Rodrigues Bonviccino, do Fórum Regional de Pinheiros, as cópias do contrato com o Grupo Naspers, um dos pilares de sustentação do regime de segregação racial mantido pelo regime racista da África do Sul.
O Grupo, que apoiou o apartheid, adquiriu no mês passado 30% das ações do Grupo Abril, um negócio estimado em US$ 422 milhões.
SP tem maior manifestação negra e anti-racista
Por: Redação – Fonte: Afropress – 20/11/2006
S. Paulo – São Paulo assistiu nesta segunda-feira (20/11), a maior manifestação negra e anti-racista de sua história, com 20 mil pessoas ocupando todas as faixas da Avenida Paulista, o maior centro financeiro do país por vários quilômetros. Na Brigadeiro Luiz Antonio, por onde passou em direção ao Parque do Ibirapuera, ativistas da Parada Negra e da Marcha da Consciência Negra eram saudados dos prédios pelas pessoas das janelas dos apartamentos.
“Está muito bonito, gente!”, diziam alguns militantes emocionados. Outros mais experientes celebravam a maturidade das lideranças que deixaram de lado a disputa de espaço político, para colocar a Causa do Combate ao Racismo em primeiro lugar, conseguindo unificar todas as entidades em torno de uma agenda comum de atividades e de um mesmo roteiro para a Marcha.
Lula e Alckmin dizem que não há racismo no Brasil
Por: Redação – Fonte: Afropress – 18/10/2006
S. Paulo – Apesar das divergências em relação a vários temas e da troca quase diária de acusações na campanha, os candidatos Luis Inácio Lula da Silva, do PT, e o tucano Geraldo Alckmin, do PSDB, tem acordo em relação a um ponto: segundo eles não há racismo no Brasil.
A posição de ambos foi explicitada na resposta à pergunta feita pelo jornal Folha de S. Paulo “O sr. Considera o Brasil um país racista?”, publicada na edição desta quarta-feira, 18/10.
Veja as respostas dos candidatos:
Morre filha que Pelé não quis
Por: Redação – Fonte: Afropress – 17/10/2006
Santos – Foi enterrado nesta quarta-feira, às 9h, no Memorial Necrópole Ecumênica, o corpo da vereadora negra, Sandra Regina Machado Arantes do Nascimento Felinto, 42 anos, filha que o ex-jogador de futebol Edson Arantes do Nascimento, Pelé, rejeitou, só reconhecendo depois de ser condenado pela Justiça. Sandra morreu às 10h desta terça-feira de câncer de mama, no Hospital Beneficência Portuguesa, onde estava internada desde domingo.
Segundo amigos da família, antes de morrer ela contou que um de seus últimos desejos era ver o pai ou receber um telefonema dele. Sua mãe, Anísia Machado ainda tentou fazer contato com Pelé, mas ele não deu retorno.
Acusado no banco dos réus
Por: Redação – Fonte: Afropress – 7/8/2006
Brasília – O estudante Marcelo Valle Silveira Mello, do Curso de Letras da UnB, senta pela primeira vez nesta quarta-feira, dia 09/08, no banco dos réus da Justiça de Brasília, acusado pelo Ministério Público pela prática de crimes de racismo na Rede Mundial de Computadores. Ele é acusado por três delitos com base na Lei 7.716/89 e pode pegar, se condenado, penas que variam de 2 a 5 anos de prisão.
UnB instaura processo contra professor
Por: Redação – Fonte: Afropress – 20/7/2006
Agora é oficial. A Universidade de Brasília abrirá sindicância para apurar denúncia de racismo feita por alunos do Instituto de Ciências Políticas contra o professor-adjunto Paulo Kramer. Após receber parecer do procurador geral José Weber Holanda, o reitor Thimothy Mullolhand decidiu constituir uma Comissão formada por professores da instituição que terá prazo de 30 dias – renováveis por mais 30 – para apurar o caso.
Negros são 70% dos jovens assassinados
Por: Redação: Foto:www.reporterbrasil.com.br/…/paraisopolis3.jpg – Fonte: Afropress – 15/10/2006
S. Paulo – Sete em cada 10 jovens na faixa etária entre 15 e 18 anos assassinados no Brasil são negros. Esse percentual – 70% – também corresponde ao número de crianças negras, entre as 800 mil sem registro civil, de acordo com o “Estudo das Nações Unidas sobre a Violência contra Crianças”, encomendado pela ONU (Organização das Nações Unidas), sobre o perfil das vítimas de violência.
Lula Presidente até 2.010
Por: Redação – Foto: http://home.img.uol.com.br/0610/j/29lulapres1.jpg – Fonte: Afropress – 29/10/2006
Brasília – Com mais de 58 milhões de votos (60,83%), Luiz Inácio Lula da Silva, 61 anos, o candidato do PT, foi reeleito Presidente da República neste domingo. O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) Marco Aurélio de Mello proclamou o resultado das eleições antes das 20h deste domingo. Lula confirmou a tendência apontada em todas as pesquisas, vencendo com larga vantagem o candidato tucano Geraldo Alckmin, 54 anos, que recebeu 37.542.978 milhões de votos – 39,17%.
Parada Negra rompe silêncio e vira destaque na mídia
Por: Redação – Fonte: Afropress – Foto:Bia Barbosa/Agência Carta Maior – 23/11/2006
S. Paulo – Além de ter sido a maior manifestação negra e anti-racista já realizada em S. Paulo, a Parada Negra que aconteceu na segunda-feira, 20 de Novembro, reunindo cerca de 20 mil pessoas (12 mil segundo a PM) mobilizadas por ativistas do Movimento Brasil Afirmativo e por organizações como a Unegro, Conen, e outras cerca de 60 entidades de S. Paulo, também foi destaque na grande imprensa.
Todos os jornais do país abriram espaço para a manifestação que tomou a Paulista e a Brigadeiro Luiz Antonio terminando no estacionamento da Assembléia Legislativa de S. Paulo.
A Parada também foi manchete em todos os principais telejornais do país. Globo, Bandeirantes, Record, SBT e Cultura fizeram chamadas da manifestação na Paulista, inclusive com entrevistas das lideranças.
Homem negro é morto por segurança do Itaú
Por: Redação – Fonte: Afropress – Foto do leitor Eduardo Menezes – 23/12/2006
Rio – O jornaleiro negro Jonas Eduardo Santos de Souza, 34 anos, morto com um tiro no peito disparado por um segurança do Banco Itaú da Agência da Rua Nilo Peçanha, Centro do Rio, foi enterrado às 16 horas deste sábado (23/12) no Cemitério do Caju, no Rio.
O crime aconteceu na tarde de sexta-feira. Jonas era cliente do Banco há mais de 10 anos e foi assassinado com um tiro à queima roupa pelo segurança Natalício de Souza Marins após ter sido barrado na porta giratória do banco. O assassino, que também é negro, foi levado ao 5º DP, na Lapa, para depoimento e aguardará o julgamento em liberdade.
Paim diz que Estatuto é construção do Movimento Negro
Por: Redação: – Fonte: Afropress: Foto: www.unicamp.br/…/imagens/216pag05.jpg – 3/3/2007
Brasília – O senador Paulo Paim (PT-RS), autor do Projeto do Estatuto da Igualdade Racial, disse, em entrevista à Afropress, que é fundamental “uma grande mobilização popular e do próprio Movimento Negro para pressionar a Câmara para que o projeto seja votado ainda neste primeiro semestre”. O Estatuto, cujo projeto foi apresentado em 1.995, quando Paim ainda era deputado, já foi aprovado por unanimidade no Senado.
Lula confirma Matilde Ribeiro na Seppir
Por: Redação – Fonte: Afropress – 23/3/2007
Brasília – A ministra Matilde Ribeiro já está confirmada para continuar à frente da Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (Seppir) neste segundo mandato do Presidente Luis Inácio Lula da Silva.
A Afropress apurou que a continuidade de Matilde no cargo deverá ser oficializada até a semana que vem quando Lula passará a tratar dos ocupantes dos cargos de segundo escalão no Ministério como as Secretarias da Presidência da República, como é o caso da Seppir e da Secretaria Especial de Mulheres.
Matilde fica na Seppir, apesar das críticas
Por: Redação – Fonte: Afropress – 2/4/2007
Brasília – Conforme adiantou a Afropress com exclusividade, a ministra Matilde Ribeiro, está confirmada para o segundo mandato pelo Presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Ela viajou para o Senegal, neste domingo (1º/04) para representar Lula na solenidade de posse do novo presidente daquele país e retorna ao Brasil na próxima quinta-feira.
Segundo a Assessora de Imprensa, Isabel Clavelin, além de participar da solenidade, Matilde deverá ter encontros com autoridades daquele país visando a consolidação de uma agenda Brasil/Senegal relacionada à igualdade racial, já discutida em visitas anteriores.

Da Redacao