S. Paulo – O I Encontro de Leitores da Afropress está marcado para o dia 26 de novembro, a partir das 17h, no Plenário Paulo Kobayashi, da Assembléia Legislativa, e celebra os 8 anos de existência da Agência – a única agência de notícias on line que produz conteúdo jornalístico. O Encontro tem entrada franca e será aberto com um debate sobre “A História da Imprensa Negra no Brasil: desafios e perspectivas”.

Para debater o tema já estão confirmadas as presenças do escritor e jornalista Oswaldo Faustino, do diretor executivo da Revista Raça, Maurício Pestana, de Francisca Rodrigues, da Afrobras, de Rosenildo Gomes Ferreira, editor asisstente da Revista Isto É Dinheiro, e Juliana Gonçalves dos Santos, responsável pela Comunicação do CEERT, Flávio Carrança, da Comissão de Jornalistas pela Igualdade Racial (Cojira/SP), de Luiz Paulo Lima, jornalista da Rede Kultafro, e da apresentadora do Programa A Liga,  Rita Batista, da Band. O Encontro será transmitido pela Internet via streaming.

Linha editorial

Após o debate, será aberto espaço para a discussão da linha editorial de Afropress e, em seguida, serão feitas homenagens a profissionais de imprensa que, no seu trabalho do dia a dia demonstram sintonia e sensibilidade com a causa da igualdade no Brasil.

Esta é a primeira vez que um veículo de comunicação alternativo se abre ao debate da sua própria linha editorial. Segundo o editor, jornalista Dojival Vieira, a proposta é recolher sugestões e críticas visando melhorar cada vez mais a qualidade da informação. “Temos consciência de que podemos e devemos melhorar muito e estamos abertos ao debate nesse sentido”, afirmou.

Também durante o I Encontro de Leitores – que o editor pretende se transforme numa tradição – serão homenageados profissionais de imprensa que na sua atuação demonstram sensibilidade com o tema da superação do racismo e da defesa da inclusão e da igualdade e lançada uma camiseta comemorativa que poderá ser adquirida pelos presentes.

A Afropress começou a operar em tempo real no dia 29 de junho de 2005 na abertura da I Conferência Nacional de Promoção da Igualdade Racial, em Brasília. Desde então, nunca mais saiu do ar, sendo atualizada diáriamente.

 

 

Da Redacao