Manaus – O Movimento Negro do Amazonas está denunciando o grupo Nação Mestiça e Movimento Caboclo Candiru, de ter ligações com o integralismo e com o anarquismo e de práticas racistas, ao se reivindicarem simplesmente mestiços. O lema do Nação Mestiça é “Você é pardo, não é negro. Você é caboclo não é indígena. Você é mestiço”
Segundo Juarez da Silva Jr., presidente de honra do Movimento Orgulho Negro, de Manaus, esses grupos
tem criado muitos problemas pois “defendem o reconhecimento da identidade racial mestiça independente e dissociada das dos Negros e dos Indígenas e a fusão racial como solução para as mazelas do mundo”.
Juarez acusou o grupo ainda de ter tentando tumultuar a realização da 1ª Conferência Nacional de Promoção da Igualdade Racial, realizada em Brasília, em julho passado. “Eles estão em guerra com o Movimento Negro do Estado, pois querem o status igual ao dos Coloured do extinto Aparthei sul-africano”, afirmou.
Ele disse que o lema “Você é Pardo não é Negro, Você é Caboclo não é Índígena, Vc é MESTIÇO” é muito sedutor na região norte e, particularmente, no Amazonas, em virtude da forte presença indígena. Para rechaçar os argumentos da Nação Mestiça o Movimento Negro organizou uma apresentação em power point que pode ser acessada no endereço www.orgulhonegro.amazonida.com/integralismo.ppt e que está provocando a ira dos adeptos do grupo, inclusive, com a difusão de nota de conteúdo racista na coluna “Boca do Inferno”, assinada pelo jornalista Simão Pessoa, do Correio Amazonense. O jornal pertence ao ex-governador Amazonino Mendes.
A nota, publicada na edição do dia 30 de agosto, tem como título “Melanina”. Veja a íntegra:
“ESSA TURMA DE AFRO-DESCENDENTES QUE APORTOU EM MANAUS HÁ DEZ, DOZE ANOS, JÁ COMEÇOU A FAZER ECA. AGORA, ELES QUEREM MELAR O DIA DO CABOCLO, QUE ESTÁ SENDO DISCUTIDO NA CMM, COM O ARGUMENTO SINGELO DE QUE SÓ EXISTEM TRÊS RAÇAS NO PAÍS: BRANCOS, NEGROS E ÍNDIOS. O RESTO, SEGUNDO ELES, É PRODUTO DO FACISMO.
FACISMO?! PÔ, VÃO SER RADICAIS (E DESINFORMADOS) ASSIM LÁ NA ÁFRICA. EU SOU PARDO, MEU NEGO, E EXIJO O DIA DA CABOCADA! CHEGA DE HUMOR NEGRO!”
Segundo Juarez, advogados do Movimento Negro do Amazonas foram acionados para processar o jornalista por racismo.

Da Redacao