Rio – Amigos da estudante Zulmira Cardoso, da Uninove, assassinada na noite de terça-feira (22/05), por um desconhecido, quando se encontrava com um grupo de angolanos em um bar na Rua Cavalheiro, Brás, centro de S. Paulo, realizarão nesta sexta-feira (25/05), a partir das 11h30, em frente ao Consulado Geral de Angola no Rio de Janeiro, na Avenida Rio Branco, 311, manifestação de protesto para exigir “Justiça pela Zulmira, já!”.
Segundo os organizadores do ato, a proposta é “fazer sentir a presença e os direitos dos estudantes e estrangeiros no Brasil”. “Não podemos ficar calados e ver o que nada se faz em relação ao que aconteceu com a nossa compatriota Zulmira Cardoso, pois todos nós podemos passar por uma situação semelhante e outros aspectos que nos afetam e queremos ver mudados”, afirmam, em mensagem que está sendo divulgada pelas redes sociais.
Zulmira foi morta à tiros e os seus amigos Celina Bento Mendonça, de 34 anos, grávida de oito meses, Gaspar Armando Mateus, de 27, e Renovaldo Manoel Capenda, de 32, foram atingidos a tiros por um homem que pouco antes havia chamado o grupo de angolanos de “macacos”. O assassino estava acompanhado de um outro homem e após rápida discussão voltou num Gol prata, desceu do veículo e efetuou os disparos.
Celina, a mulher grávida de cerca de oito meses, levou dois tiros, um deles na barriga, e permanece internada no Hospital João XXIII, na Barra Funda. A criança, segundo as primeiras informações, não foi atingida.
Gaspar e Renovaldo também foram baleados, porém, já receberam alta. O caso está registrado no 8º DP do Brás/Belém, como homicídio simples consumado e homicídio simples tentado. A Polícia não tem pistas do autor dos disparos.
Veja o vídeo

Da Redacao