Brasília – O projeto de anistia póstuma ao marinheiro João Cândido, líder da Revolta da Chibata,(PL 7198/02), que tramita na Câmara desde 2022, poderá ser pautado para votação na semana que vem, para lembrar a passagem do 13 de maio – data dos 120 anos da Abolição não concluída. A Revolta, ocorrida em 1.910, na Baía da Guanabara, foi em protesto pelos maus tratos que os marinheiros – na sua maioria negros – recebiam dos oficiais. João Cândido é o “Mestre Sala dos Mares”, celebrizado na música de Aldir Blanc e João Bosco.
O pedido para que o projeto seja votado foi feito esta semana pelo ministro chefe da Seppir, o deputado Edson Santos, ao presidente da Câmara, Arlindo Chinaglia. Santos esteve com Chinaglia para tratar do tema e também para discutir as estratégias para votação do Estatuto da Igualdade Racial – o PL 6264/05). Ele também convidou Chinaglia para participar de um evento regional preparatório à Conferência de Revisão de Durban, que ocorrerá em junho, em Brasília.
O presidente da Câmara aceitou o convite e ficou de dar resposta a reivindicação de pautação do projeto.

Da Redacao