Amsterdã – O atacante Afonso Alves, convocado para defender a seleção brasileira nos amistosos contra Estados Unidos e México neste domingo e no dia 12, denunciou, em nota oficial, que é vítima de racismo por parte da torcida do clube em que atua – o Heerenveen.
Afonso justificou sua ausência na cerimônia em que foi premiado como o melhor jogador da última temporada pelas manifestações de racismo da torcida do clube holandês, e disse estar cansado de ser chamado de “macaquinho” nos estádios e nas ruas de Heerenveen.
“Como comparecer a um evento em que torcedores motivados por alucinações nazistas não hesitariam em xingar o atleta de macaquinho, como fazem nas ruas de Heerenveen?”, afirmou.
“Muito se fala da existência de trabalho escravo no Brasil, fato que, lamentavelmente, é verídico em longínquas regiões do país. O que causa maior estranheza é perceber que em alguns cantões da liberal Holanda também há instintos escravocratas aflorando em pleno século 21”, diz a nota. Afonso foi o artilheiro da última temporada do Campeonato Holandês, com 34 gols.

Da Redacao