S. Paulo – A direção da Associação Atlética Acadêmica Pereira Barretto, da Universidade Federal de S. Paulo (Unifesp), admite a responsabilidade pela publicação do jornal “O Menisco – Intermed 2008”, com pelo menos 29 piadas de teor racista, associando negros a doenças e crimes, porém, nega a intenção da prática de qualquer conduta de preconceito ou discriminação.
Em nota oficial, a entidade anunciou que já está tomando todas as providências para a apuração do fato e garantiu estar à disposição das autoridades para prestar os esclarecimentos necessários no inquérito civil instaurado a pedido da Coordenadoria da Mulher e da Igualdade Racial da Prefeitura de Guarulhos.
A promotora Deborah Kelly Affonso (foto a direita), do Grupo de Atuação Especial de Inclusão Social, acenou com um acordo que “vise reparar os danos”. “Há, por exemplo, sugestões para que a Atlética promova fóruns para discutir racismo”, afirmou.
A responsável pela representação e coordenadora, Edna Roland, entregou nesta quarta-feira (15/10), um exemplar do jornal e pediu a instauração de inquérito criminal. Também a direção da Universidade anunciou em nota que em 23 de setembro passado, abriu processo administrativo na Comissão de Ética e Disciplina da graduação para apurar o fato e acrescentou que repudia atos de racismo.

Da Redacao