S. Paulo – A audiência do Fórum SP da Igualdade Racial com os presidentes da Câmara e do Senado para a entrega das 100 mil assinaturas em defesa do Estatuto da Igualdade Racial e do PL 73/99 foi adiada para o dia 27 deste mês por sugestão do senador Paulo Paim (PT-RS), autor do projeto do Estatuto. Paim sugeriu o adiamento, tendo em vista que a dia 12 – data para a qual estava prevista inicialmente a audiência – será o dia em que o Senado decidirá o destino do presidente da Casa, Renan Calheiros (PMDB-AL), que corre risco de ter o mandato cassado por suspeita de quebra de decoro.
Na conversa mantida com o coordenador do Fórum Frei Antonio Leandro da Silva, da Rede Educafro, o senador gaúcho também ponderou que considera a entrega das assinaturas um momento muito importante para ser prejudicado pelo desfecho do “Caso Renan”.
Na reunião de terça à noite (04/09) na Educafro, as lideranças do Fórum decidiram acatar a sugestão e a viagem à Brasília foi transferida para o dia 25 de setembro. Entretanto, também decidiram intensificar a mobilização para a coleta de assinaturas. No balanço realizado, a avaliação é que já se tenha chegado a 90 mil assinaturas, porém, muitas listas do Abaixo-Assinado ainda não foram entregues.
Os coordenadores fazem um apelo para que quem tenha listas encaminhe imediatamente para a Rede Educafro – que está concentrando a contabilidade das assinaturas – para a contagem final.
O Fórum é integrado pela Educafro, Movimento Brasil Afirmativo, Instituto do Negro Padre Batista, e várias outras entidades e lideranças negras e anti-racistas favoráveis a aprovação imediata do Estatuto e do PL 73/99. As lideranças também decidiram acrescentar as reivindicações a aprovação da PEC 02/2006, que cria o Fundo de Promoção da Igualdade Racial, de onde sairão os recursos para a implementação das políticas em favor da população negra.
Grito dos Excluídos
Neste 07 de setembro grupos de ativistas sairão às ruas aproveitando a mobilização do “Grito dos Excluídos” para pedir apoio da população ao Estatuto e ao PL 73/99, que cria cotas. Segundo o Frei, o adiamento da audiência não trará qualquer prejuízo ao movimento.
“Vamos acentuar a campanha em vários pontos. Estamos conclamando as entidades e lideranças para que se façam presentes. Os ativistas que participarem da manifestação do Dia dos Excluídos estarão também coletando assinaturas”, afirmou.

Da Redacao