S. Paulo – Numa solenidade, no Palácio dos Bandeirantes, marcada pela ausência do governador Geraldo Alckmin e da Secretária da Justiça, Eloisa Arruda, o advogado e procurador federal, Marco Antonio Zito Alvarenga, 58 anos, tomou posse na manhã desta sexta-feira (07/10) como presidente do Conselho de Participação e Desenvolvimento da Comunidade Negra de S. Paulo.
“Vamos aprimorar o trabalho iniciado pelo Conselho de enfretamento às demandas raciais, para contribuirmos na construção de um Estado igualitário”, disse Zito, no discurso de posse, depois do ex-secretário de Justiça, Hédio Silva Júnior, afirmar que a população negra paulista deposita nele as esperanças de que o Estado coloque na agenda a implementação de políticas públicas para os 13,6 milhões de afro-brasileiros.
S. Paulo é o Estado com maior população negra do país, em números absolutos – cerca de 31% dos 41 milhões de habitantes.
Representantes
O ato também marcou a posse dos 22 conselheiros representando a sociedade civil e os 10 representando o Governo Estadual. O mandato é de 4 anos. Na mesa, além de Hédio, a ex-secretária da Justiça, Eunice Prudente, e o diretor da Universidade Zumbi dos Palmares, José Vicente.
O Conselho, criado em 1.984 pelo governador Franco Montoro, vem sofrendo um processo crescente de esvaziamento e desprestígio – que se aprofundou nos dois mandatos da ex-presidente Eliza Lucas Rodrigues. A ausência do governador e da Secretária de Justiça – ao qual o órgão está ligado – foi considerada, por muitos, uma evidência disso.
Até mesmo o cerimonial do evento, não era o cerimonial do Palácio e teve de ser improvisado por lideranças ligadas a conselheiros.
Direção
Zito presidiu a Comissão do Negro e Assuntos Anti-Discriminatórios da OAB/SP e se considera independente. A direção do Conselho é formada por Ivan Renato de Lima, na vice-presidência e Sueli Aparecida Gonçalves, secretária.
O Conselho de Participação e Desenvolvimento da Comunidade Negra completou 27 anos em 11 de maio de 2011, sendo o conselho mais antigo do Estado de São Paulo. Criado pelo Decreto nº 22.184/84 trabalha para desenvolver estudos e propostas de defesa aos direitos da comunidade negra. Composto por membros da sociedade civil e representantes do governo, impulsionou o movimento de combate ao racismo e de promoção da inserção política, econômica e cultural desta população.
Confira a lista dos conselheiros empossados
Sociedade civil:
Acácio Augusto Tobias Vieira
Aglai Santos Viriato
Alessandra de Cássia Laurindo
Antonio Andrade da Silva Neto
Antonio Antunes de Sá
Conceição Aparecida Domingos Vercesi
Edima de Souza Mattos
Eliza Gabriel da Costa
Flávia de Jesus Costa
Franklin Silva Barreto
Ivan Renato de Lima
João Bento
João Mendes dos Santos
José Ricardo dos Santos
Marco Antonio Zitto Alvarenga
Maria Aparecida Pinto
Maria da Silva Amaral
Marisa da Conceição Peres da Silva
Pérola Monteiro dos Santos Quintiliano
Rad Assis Brasil Ugarte
Sueli Aparecida Gonçalves
Vânia Maria da Silva Soares
Poder Público:
Secretaria de Gestão Pública: Francisco Leudo Gomes
Secretaria da Justiça e da Defesa da Cidadania: Antonio Carlos Arruda da Silva
Secretaria de Desenvolvimento Social: Paulo Henrique Montenegro Lopes Ferreira
Secretaria do Emprego e Relações do Trabalho: Rogério Barreto Alves
Secretaria da Segurança Pública: Rubens Salles Pereira Orrin
Secretaria da Educação: Débora Aparecida Batista de Campos
Secretaria da Saúde: Anna Volochko
Secretaria da Cultura: Cássio Rodrigo de Oliveira Silva
Secretaria de Turismo: Lúcia Helena Tavares de Oliveira
Defensoria Pública do Estado de São Paulo: Ricardo Gabriel Gomes Pedreira

Da Redacao