Autor: Joel Zito Araújo

Eu sou neguinho

O meu amigo Caetano, que no debate público é um provocador tão genial quanto na arte, também é, sem dúvidas, um atento observador da realidade racial brasileira desde jovem, quando Dona Canô gritava “meu filho corra, venha ver na TV aquele preto de que você tanto gosta!”. Ou quando se irritou ao ver jovens de esquerda chamando Clementina de Jesus de macaca no Teatro Paramount, em 1968. Ou quando não deixou o país esquecer que o Haiti é também aqui.

consulte Mais informação
  • 1
  • 2

Vídeos Recentes

Carregando...

Publicidade