Ribeirão Preto/SP – O auxiliar de produção Geraldo Garcia, 55 anos (foto), foi atacado na manhã deste sábado (12/12) pelos estudantes de Medicina Abrahão Afiune Júnior, 19 anos, Emílio Pechulo Ederson, 20 anos, e Felipe Grion Trevisani, de 21 anos, que o chamaram de “negro”, enquanto o espancavam.
Garcia estava numa bicicleta e transitava pela Avenida Doutor Francisco Junqueira, em Ribeirão Preto. “”Eu estava indo trabalhar e de repente ouvi eles gritando ‘ô seu negro, ô seu negro’ e senti algo em minhas costas”, afirmou.
O auxiliar de produção sofreu pequenas escoriações nas mãos ao ser derrubado da bicicleta. “Isso nunca me aconteceu, estou triste, frustrado. Eu não perturbo ninguém, não fiz nada com ninguém, estava indo trabalhar, isso é o fim do mundo”, desabafou.
Em flagrante
Os agressores foram presos sob acusação de injúria e discriminação racial, depois que testemunhas chamaram a Polícia. O delegado Mauro Coraucci disse que a agressão foi seguida de ofensa e ficou caracterizada também injúria e discriminação racial. “Ao desferir a pancada o chamaram de negro, o que já evidencia o racismo”, afirmou a autoridade.
A prisão em flagrante dos três agressores só ocorreu porque o motorista Adilson Castro de Morais, de 31 anos, e outros seguranças que estavam no posto em frente ao local da agressão, conseguiram alcançá-los na Avenida 9 de Julho, parando o veículo. “Nós fomos atrás deles e conseguimos fechar o carro. Depois, seguramos os meninos e chamamos a polícia”, contou Morais.

Da Redacao