Salvador – Entidades e lideranças do Movimento Negro baiano promovem nesta terça-feira (08/01), às 10h, em frente ao Ministério Público, no bairro de Nazaré, ato público de desagravo ao ex-superintendente do Procon-BA, Sérgio São Bernardo, exonerado pela Secretária Estadual de Justiça, Cidadania e Direitos Humanos, Marília Muricy.
A Secretária será denunciada pela prática de racismo institucional e assédio moral, fato que ela nega. Segundo Marília o que ocorreu foi apenas um conflito de autoridade. A exoneração aconteceu no dia 11 de dezembro passado.
“A acusação de racismo institucional é fundamentada na constatação de que a Secretária tem utilizado a máquina pública em desfavor de todo e qualquer projeto, ação, e encaminhamentos dados e realizados pelo advogado enquanto superintendente do órgão durante 11 meses, como reflexo de uma política de total desrespeito às ações em prol da comunidade negra, no que se refere à consolidação dos Direitos Humanos”, afirmam no manifesto convocatório do ato.
Segundo as lideranças, o Movimento negro da Bahia relacionou uma série de violações aos direitos humanos no estado, ao longo de 2007, tais como chacinas, extermínios, abusos de poder, violência policial e o registro de 1.337 assassinatos que não receberam as devidas atenções e providências por parte da Secretaria de Justiça. Segundo dados do Centro de Documentação e Estatística Policial (CEDEP), menos de 20% dos crimes tiveram a devida punição.
O ato será encerrado com a entrega ao Ministério Público de uma representação contra a Secretária Marília Muricy pela prática de racismo institucional.

Da Redacao