Salvador – Militantes anti-racistas de todo o país, que estão em Salvador participando da II Conferência Internacional de Intelectuais Africanos e da Diáspora (CIAD), realizarão reunião nesta quinta-feira, 13/07, para planejar um calendário de mobilização nacional em defesa da política de cotas nas universidades públicas brasileiras.
Entre as propostas para discussão estão a realização de um Dia Nacional de Mobilização pelas cotas, incluindo um “apitaço” para exigir ações afirmativas em todas as universidades públicas do Brasil. Também será feito um chamado à sociedade para a importância da aprovação dos Projetos de Lei discutidos no Congresso – o Estatuto da Igualdade Racial e o PL 73/99.
Tanto o Estatuto, do senador Paulo Paim (PT-RS), quanto o PL 73/99, da deputada Nice Lobão (PFL-MA), propõem a instituição de cotas no Brasil. No caso do Estatuto, não apenas na Universidade, mas no mercado de trabalho e na mídia.
A reunião acontece às 19h no Hotel Piza (Av. Professor Manuel Ribeiro, 1.421, Jardim Armação, Orla), próximo ao Centro de Convenções, onde acontece a II CIAD.
Um manifesto em defesa das cotas do Movimento Negro baiano deverá ser lido pelo ex-senador Abdias do Nascimento, que será homenageado na abertura do evento.
Os articuladores da reunião são Marcos Alessandro, do Movimento Negro Unificado, da Bahia, o poeta Hamilton Walê, Marcos Rezende, representando as religiões de matriz africana, Michel Chagas, do Instituto Steve Biko, Ivana Dorali, do Instituto Mídia Étnica, Agnaldo Neiva, do Ceafro, e José Raimundo, do Movimento de Solidariedade Africana.

Da Redacao