S. Paulo – O supermercado Barateiro, da rede Compre Bem, acaba de ser condenado a pagar R$ 60 mil (200 salários mínimos) a cobradora de ônibus Rosana Cristina Pires dos Santos, de 25 anos, por racismo. O caso ocorreu a mais de 3 anos (27 de janeiro de 2.002), quando Rosana fazia compras no Barateiro da Avenida Nossa Senhora do Sabará, em Santo Amaro, zona sul de S. Paulo.

Ela foi surpreendida com a acusação de furto feita uma funcionária, que ainda a agrediu com ofensas racistas. A ação de indenização por danos morais foi patrocinada pelo Departamento Jurídico do Instituto do Negro Padre Batista. O Grupo Pão de Açúcar ao qual pertencia à época a rede Barateiro anunciou que recorrerá da decisão

Da Redacao