A região de Bauru esteve representada pelos delegados Ademir Elias, Suzi da Silva, Paulo Roberto Amaral e a jornalista Kelly Tatiane Quirino, convidada da Secretaria Especial de Promoção da Igualdade Racial (Seppir). Também estiveram no evento os delegados Débora Cristina Nunes, de Jaú, Maria Aparecida Saldanha Rosa Gonçalves, de Lins, Celso Luiz da Costa Dias, de Pederneiras e Edcarlos Pereira dos Santos, de Bariri, além da convidada, Vanderléia Cleonice Andreza da Silva, de Lupércio.
Nos painéis e grupos de trabalho, o poder público e os movimentos sociais debateram temas, da titulação de terras quilombolas até cotas no ensino superior, passando pelo respeito às religiões de matrizes africanas, programas de saúde específicos para a população negra e o combate ao racismo institucional. No “Painel de Políticas Internacionais”, destaque para as presenças do vice-presidente da Organização das Nações Unidas (ONU) na Nigéria, Martin Uhomoibhi, e do presidente da União dos Países Africanos, Adama Samassekou, do Mali. Ambos elogiaram o presidente Lula pela implementação de políticas de promoção da igualdade racial e o estreitamento de relações com a África.
Demandas específicas dos povos indígenas e de etnia cigana também foram debatidas na 2.ª Conapir. A conferência tem seis eixos centrais: Terra; Educação; Trabalho e Renda; Segurança e Justiça; Saúde e Políticas Internacionais.
Funcionários da ONU, montaram um gabinete itinerante no centro de convenções, especialmente para ouvir e dar encaminhamento às reivindicações dos participantes.
Como é praxe em eventos de repercussão internacional, houve manifestações de diversos grupos, como os quilombolas e o movimento GLBT. A mais original foi a de um palestino solitário, que montou acampamento em frente ao centro de convenções e, nos quatro dias, ficou em cima de um caminhão de som, que tocava músicas e exibia discursos com palavras de ordem contra Israel. Ele pedia a desocupação da Faixa de Gaza.
Na abertura, estiveram presentes vários ministros. Lula, que faria a abertura de honra, foi a grande ausência. A festa teve como mestre-de-cerimônia a atriz Isabel Fillardis e foi prestigiada por artistas como Netinho de Paula, Leci Brandão e Nelson Sargento.
O desafio dos delegados de Bauru e região agora é absorver o conteúdo de algumas das centenas de propostas discutidas nas conferencias regional, estadual e na nacional, além de sugerir a implementação nos seus respectivos municípios.

Ademir Elias