Rio – A médica com especialização em Ginecologia e Obstetrícia, e advogada Berenice de Aguiar Dias, candidata a Deputada Estadual pelo PMDB do Rio (Nº 15.951), diz que vai dedicar o seu mandato, se eleita, a defesa do atendimento integral à saúde da mulher, criação de núcleos de atendimento e reabilitação para dependentes químicos e a implementação da Lei 10.639/2003, que obriga a inclusão da disciplina História da África e Cultura Afro-brasileira nos currículos das escolas de ensino fundamental e médio.
Segundo ela, o Estatuto da Igualdade Racial – Lei 12.228 – “não respeitou as necessidades e propósitos da população negra”. “Por meio de maquinismos político-partidários tornou-se um imbróglio e não uma solução aos mais carentes como fora proposto e idealizado”, afirmou.
Confira, na íntegra, mais uma entrevista da série e que faz parte do esforço de Afropress para estimular o voto em candidatos negros e antirracistas a deputados estaduais, federais e senadores, em todo o Brasil nas eleições de 3 outubro. O espaço é aberto a todos candidatos comprometidos com esta agenda, independente de partidos.
Afropress – Por que é candidata a Deputada Estadual e quais são suas principais propostas se eleita?
Berenice de Aguiar – Tornei-me candidata a Deputada Estadual no atual pleito por indicação do partido ao qual sou registrada, o PMDB, para complementação da nominata eleitoral à guiza da porcentagem do numerário de candidatos do sexo masculino e feminino, para as eleições deste ano.
Sou registrada no Partido aproximadamente desde o ano de 1986, com militância ativa desde o mês de outubro de 2009, como participante dos PMDB Mulher Estadual e Regional. O hiato instalado entre o ano de registro e o de militância ativa deveu-se a obrigações domésticas e profissionais; fui Professora do ensino fundamental até o ano de 1978 e daí até os dias atuais, sou médica ginecologista e obstetra e Advogada Trabalhista, tarefas que não me permitiam participar com maior plenitude, na política partidária.
Minhas principais propostas eleitorais resumem-se em: Atendimento integral a saúde da mulher feita prioritariamente em instituições médicas, situadas nas proximidades de suas residências; criação de núcleos de atendimento e reabilitação, a nível estadual, para dependentes químicos; criação de creches, em nível do governo Estadual para a infância e a terceira idade, com funcionamento nos horários diurno e noturno; horário integra de ensino nos CIEPs e criação de mais Centros Desportivos e Vilas Olímpicas; implantação do ensino de Educação Musical nas escolas da rede pública de ensinos fundamental e médio; implementação da Lei 10. 639/2003 no currículo das escolas de ensino fundamental e médio, no Estado do Rio de Janeiro.
Afropress – Como acompanhou o debate sobre o Estatuto da Igualdade Racial aprovado e qual a sua posição a respeito?
Berenice – Acompanhei este embate por meio de informe de artigos de hebdomadários, da Internet por meio dos canais e sites de discussão étnicos ou não.
Para ser bastante sucinta e objetiva, o Estatuto não respeitou as necessidades e propósitos de nossa etnia e sim, por meio de maquinismos políticos-partidários tornou-se um imbróglio e não uma solução aos mais carentes como, fora proposto e idealizado.
Afropress Qual a sua posição em relação às cotas e ações afirmativas e se considera necessário o aperfeiçoamento do Estatuto aprovado e recém-sancionado pelo Presidente da República?
Berenice – É óbvio que as cotas e a ação afirmativas são binômio relevante e necessário ao resgate da cidadania de nossa etnia, como também a luta contra o racismo ambiental e o desenvolvimento sustentável e o desrespeito, e à intolerância religiosa e a crescente violência à juventude negra, nos grandes centros urbanos.
Como já respondi anteriormente, é claro que o Estatuto do jeito em que atualmente se apresenta, carecerá de alterações em seu teor que reflitam as reais necessidades dos cidadãos negros.
Afropress – Como se posiciona em relação aos assassinatos de jovens negros na cidade de S. Paulo, que ganharam a mídia com a morte dos dois motoboys e mais do ajudante de pedreiro Cristiano da Silva, nas mãos da Polícia Militar?
Berenice Como me posiciono frente à morte de dois adolescentes cujos algozes são policiais? Desculpe-me mas, esta pergunta não responderei pois sou ser humano, e mãe.
Meus filhos têm a idade aproximada destes rapazes e só desejo a estes senhores e ao Estado que os capacita deficientemente à profissão que exercem, uma sentença correspondente ao dano causado a estes moços e as suas famílias.
Afropress – Fale um pouco de sua trajetória pessoal e política e na importância da eleição de candidatos negros e anti-racistas nestas eleições.
Berenice – Sou carioca, nascida e criada na Ilha do Governador, filha de um casal de negros, meu pai cozinheiro e minha mãe copeira, ambos funcionários de um mesmo hospital, nesta Ilha.
Sempre estudei em colégios públicos e fui aprovada em 1972 na Escola de Medicina e Cirurgia do Rio de janeiro e nesta época já trabalhava como professora (fiz o curso normal no austero e imponente, Instituto de Educação do Rio de Janeiro).
Sou especializada em Ginecologia e Obstetrícia, na medicina e em Direito do trabalho e de Família, como advogada. Sou advogada desde o ano de 2006 e inscrita e aprovada na OAB/ RJ. Atualmente sou Conciliadora na 16ª Vara de Família do Tribunal de Justiça do R J.
Exerço hoje em dia após a minha aposentadoria em 1989, a medicina em caráter privado, em meu consultório médico particular.
Participo na militância de instituições étnico-sociais como o CEDINE/ RJ, do IPCN, do Fórum Estadual de Mulheres Negras e do PMDB Mulher Estadual e Regional do RJ.
Acredito que a eleição de parlamentares negros é necessária tanto pelo fato de que a legislação precisa se estender mais a nossa etnia e características próprias e também para que os cidadãos tenham a noção de que entre os nossos existem cidadãos de igual ou melhor capacidades intelectuais a cumprir com dignidade os trâmites parlamentares.
Que nossas crianças e adolescentes tomem nas atitudes dos adultos e, conseqüentemente na dos parlamentares eleitos, um exemplo e marco para a suas vidas, futuramente.
Afropress – Faça as considerações que julgar pertinentes.
Berenice – Só tenho a agradecer a oportunidade de me apresentar e de expor minhas proposições eleitorais.

Da Redacao