Brasília – Com acervo de cerca de 17 mil ítens, incluindo livros, folhetos, periódicos, imagens e CD-ROMs, a Fundação Cultural Palmares reinaugurou nesta quinta-feira (15/12) a Biblioteca Oliveira Silveira, em sua sede, no Setor Comercial Sul, quadra 09, 1º andar, Edifício Parque Cidade Corporate Torre B, em Brasilia.
A Biblioteca guardará o arquivo da Fundação desde que foi criada em 1.988 e também abrigará a Coleção Faces do Brasil – História e Cultura, organizada pela professora Jacy Proença e publicada pela Editora Ética do Brasil, em parceria com a Palmares.
Cultura Afro-Brasileira
Especializada em Cultura Afro-Brasileira, a Biblioteca reúne fotos, pinturas, cartazes e materiais de museus, como arte quilombola, palharia, cerâmicas e telas, que preservam parte da memória negra. Também foi instalada uma sala de vídeo com espaço para 16 pessoas e terminais de acesso à Internet.
O trabalho de montagem do acervo reuniu seis profissionais, que ficaram encarregados da coleta e organização do material, segundo a bibliotecária Elen Rocha. A Biblioteca faz parte do Centro Nacional de Informação e Referência da Cultura Negra da Palmares, que tem como coordenador geral o ex-presidente da Fundação, Carlos Moura.
Segundo o presidente da Palmares, Elói Ferreira de Araújo, a Biblioteca foi originalmente inaugurada no dia 20 de novembro de 1998, na gestão da ex-presidente Dulce Pereira, porém, com a mudança de sede, ficou desativada por alguns meses e agora é reaberta com uma homenagem ao poeta gaúcho e militante do Movimento Negro, Oliveira Silveira, morto em 2009.
Quem foi
Oliveira Silveira foi professor, poeta e militante do Movimento Negro, e responsável pela proposta de transformação do 20 de Novembro em Dia Nacional da Consciência Negra, juntamente com o Grupo Palmares, de Porto Alegre, na década de 1970, ainda sob o regime militar.
Gaúcho e autor de inúmeros poemas e textos literários, seu primeiro trabalho foi o poema Germinou (1962), tendo ainda publicado: Poemas Regionais (1968); Banzo, Saudade Negra (1970); Décima do Negro Peão (1974); Praça da Palavra (1976); Pêlo Escuro (1977); e Roteiro dos Tantãs (1981).
A Biblioteca Oliveira Silveira disponibiliza a listagem do seu acervo bibliográfico sobre a cultura negra e a história da Diáspora Africana para consulta pública no site: http://biblioteca.palmares.gov.br.
Coleção
A coleção Faces do Brasil – História e Cultura é composta por 37 obras redigidas por professores, pesquisadores e escritores negros e indígenas de 14 estados brasileiros. Organizada pela professora Jacy Proença, ativista histórica do movimento negro brasileiro, a coleção é destinada a alunos do ensino fundamental e médio.

Da Redacao