Depois de três anos de sucesso na Alemanha, com temporadas nas cidades de Bonn, Colônia e Frankfurt, o monólogo Andanças – Vida e obra de Arthur Bispo do Rosário, com Alex Mello e direção de Paula Feitosa, estréia para convidados no próximo dia 12 de abril, às 19h, no Centro Cultural da Justiça Federal, no Centro, Rio de Janeiro.
Idealizador da montagem, o ator e produtor carioca Alex Mello, há quatro anos radicado na cidade alemã de Bonn, busca através da encenação oferecer ao público contornos da biografia do esquizofrênico Arthur Bispo do Rosário (1909-1989) para que ele pinte seu próprio quadro. Através de dramaturgia e ambientação cênica igualmente poéticas, Alex Mello ilustra no palco algumas passagens da vida deste personagem tão tocante para a arte e o estudo do inconsciente na segunda metade do século XX. Com ambientação cênica da artista plástica Fátima Chaves, trilha sonora de Ilya São Paulo e narração em off dos atores Milton Gonçalves e Zezé Motta, Andanças – Vida e obra de Arthur Bispo do Rosário fica em cartaz até 13 de maio, de quinta a domingo, às 19h, com ingressos a R$ 20,00.
Alex Mello afirma que a montagem se apóia no questionamento de temas atuais como exclusão, fé, amor, solidão e arte. “Me interessa abordar esses pontos, sobretudo, num país como a Alemanha, com alto índice de suicídios e onde as pessoas têm mais cachorros do que filhos. O universo do Bispo é de amor e generosidade, portanto, extremamente delicado e capaz de sensibilizar qualquer platéia”, observa.
Interessa ao ator também evidenciar a origem afro-descendente de Bispo do Rosário. Nascido em Sergipe, Bispo era descendente de escravos, foi da Marinha e depois tornou-se empregado de uma tradicional família carioca. “Faço parte do movimento negro e essa talvez seja a primeira vez que o Bispo é interpretado, no teatro, por um ator negro”, observa Alex.
Sobre a encenação
Para a diretora Paula Feitosa, atriz – que já trabalhou com diretores como Aderbal Freire-Filho e Gerald Thomas – também com formação em dança pela Escola Angel Vianna, a montagem tem, entre suas marcas, um vigoroso trabalho corporal. “Esperamos contar a história do Bispo de uma forma diferenciada, através de uma movimentação bem cuidada, mas que ninguém pense que verá um espetáculo de dança. O que importa aqui é caracterizar bastante o corpo do ator no desenrolar da montagem”, destaca. Segundo a diretora, Andanças – Vida e obra de Arthur Bispo do Rosário não é um espetáculo realista. “A questão da loucura do Bispo e do sofrimento que ele passa por sua condição de esquizofrênico acabam imprimindo uma candura na figura do personagem. Afinal, ele se julgava filho de Deus a ponto de criar o Manto da Apresentação para o Juízo Final”, completa.
No palco, Alex Mello terá o auxílio da narração em off dos atores Milton Gonçalves e Zezé Motta. Eles descrevem a alegórica epopéia deste artista emblemático. Os atores leram nas gravações textos de passagens da vida de Bispo, desde o surto que o acometeu em 1938, passando pela internação em 1939 até sua morte em 1989. Outro destaque da montagem de Andanças – Vida e obra de Arthur Bispo do Rosário é uma reprodução do Manto da Apresentação que Alex Mello reproduziu durante algumas visitas à Colônia Juliano Moreira, sendo auxiliado nos bordados por artistas que seguem os passos deixados por Bispo do Rosário.
O ator e músico Ilya São Paulo assina a trilha sonora composta especialmente para a peça, tendo como referências ritmos do folclore brasileiro e sons de unidades psiquiátricas. Andanças traz pela primeira vez ao Rio de Janeiro a obra da artista plástica Fátima Chaves, sobrinha neta de Tiradentes, que atualmente vive na França. Fátima assina a instalação cênica Via Crúcis que tem relação direta com os mantos paramentais de Bispo do Rosário.
A artista evoca em sua instalação os passos de um Cristo andarilho. O premiado artista plástico Vagner Gonçalves responde pela ambientação cênica, que dá unidade a todos os elementos expostos na montagem.
Sobre o ator Alex Mello
Nascido em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, Rio de Janeiro, conviveu com a cultura popular brasileira desde a infância, por conta da participação da família na Folia de Reis, entre outras festas populares. Através de um trabalho escolar, durante a adolescência, entrou em contato com o teatro. Em 1996 ingressou no hoje extinto curso do Senac, então profissionalizante para atores.
Engrenou no Grupo Varal, quando conheceu a diretora Paula Feitosa, durante o processo de encenação da peça “A revolução dos beatos”, de Dias Gomes, que fez temporada no Teatro do Planetário da Gávea. A montagem representou o Brasil no Festival de Teatro Internacional, o Fitei, em Portugal. Em seguida, com o ator Tom Pires, encenou “As criadas”, de Jean Genet, sobre pernas de pau.
Paralelamente ao trabalho de ator, Alex Mello se envolveu numa série de iniciativas de produção cultural na Baixada. E, neste período, surgiu a idéia do intercâmbio cultural na Alemanha. Embarcou em 2003 levando a experiência em teatro, além do trabalho com a arte circense. Em Bonn, onde se radicou, tornou-se artista residente do Centro Dramático da cidade, além de ter cursado oficinas como butô no Teatro Antagon de Ação, considerado o primeiro teatro universal do mundo, em que os atores se expressam de várias formas, sem priorizar o idioma.
Por conta dos projetos, Alex esteve em performances, entre outras, durante a Copa do Mundo da Alemanha. O ator também trabalha como arte-educador com um curso sobre a produção cultural nas comunidades brasileiras.
Serviço:
Andanças, vida e obra de Arthur Bispo do Rosário – Dramaturgia e interpretação: Alex Mello. Direção: Paula Feitosa. / Centro Cultural da Justiça Federal – Avenida Rio Branco, 241. Centro – RJ. Tel: 21 3212 2565 / Ingressos: R$ 20,00. Classificação: 14 anos. De quinta a domingo, às 19h00. Estréia: Dia 12 de abril às 19h00 (para convidados). Temporada: 13 de abril a 13 de maio de 2007. Observação: O CCJF tem acesso para portadores de necessidades especiais; a bilheteria abre às 16h30 e a venda de ingressos é realizada apenas no local. Não são aceitos cartão de crédito ou cheque. Assessoria de imprensa: Mônica Riani 21 2235.5575 / 9345.0351

Mônica Riani (Asessoria de Imprensa)