S. Carlos – Foi enterrado neste sábado (24/11), no Cemitério Municipal de S. Carlos, cidade a 232 Km de S. Paulo, onde vivia, o corpo de um dos maiores nomes do atletismo brasileiro – Nelson Prudêncio – morto na véspera, vítima de um câncer no pulmão, aos 68 anos.

Prudêncio, ex-atleta do salto triplo, medalha de prata no México, nas Olimpíadas de 1.968, e medalha de bronze em 1.972, em Munique, na Alemanha, é considerado o maior nome dessa molidade, ao lado de Adhemar Ferreira da Silva, bicampeão olímpico, em Helsinque, na Finlândia, em 1.952, e em Melbourne, Austrália, em 1.956, e João Carlos de Oliveira, o João do Pulo, responsável pela conquista de duas medalhas de bronze, em Montreal, no Canadá, em 1.976, e em Moscou, na extinta União Soviética, em 1.980.

Ao contrário dos dois, porém, Prudêncio fez uma sólida carreira acadêmica ao se aposentar do atletismo. Em 1.971, formou-se em Educação Física na Universidade Federal de S. Carlos, de onde tornou-se professor-doutor. Fez mestrado em Educação Física na USP (Universidade de S. Paulo) e doutorado na mesma área pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp).

Com esses títulos, tornou-se professor pela Universidade Federal de S. Carlos, a partir de 1.974, atuando no Departamento de Educação Física e Motricidade Humana, responsável pelas disciplinas Fundamentos das Atividades Atléticas e Teorias do Treinamento no Esporte.

Ele também ocupava o cargo de vice-presidente da Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt). Deixou dos filhos e a mulher, Maria Lúcia Saldanha Vianna Prudêncio.

Para Maurren Maggi, que ganhou a medalha de ouro em Pequim, na China, em 2008, Prudêncio foi o principal responsável por sua escolha pelo salto em distância, modalidade em que se consagrou no atletismo mundial.

"Ele foi um grande incentivador da minha carreira. Foi um dos meus inspiradores. Me dava muitos bons conselhos. Quando ele falava, eu ficava atenta, quieta, prestando atenção a cada coisa que dizia. Foi ele quem me encaminhou para o salto. Falava que eu tinha habilidade para saltar", afirmou Maurren, que acompanhou o enterro.

Foto: Lucas Lima – 24.jun.2012/Folhapress

Da Redação