Los Angeles/EUA – O roteirista e produtor de cinema e televisão paulista, Mário Amadeu, enviou carta aberta ao juiz do Maranhão, José Carlos do Vale Madeira, que suspendeu os editais do Ministério da Cultura, para produtores, pesquisadores e criadores negros, sob a alegação de que o ministério não poderia “excluir as demais etnias”.

“Este edital é para todos cidadãos brasileiros independentemente da cor de pele, a única diferença é que inclui um afrodescendente numa posição chave. Pela nossa história sabemos que nossos antepassados negros vieram para o Brasil como escravos e ganharam a liberdade depois de muita violência e intolerância. Até hoje existem muitos preconceitos baseados na cor da pele e negros são muito mal representados em novelas e cinema”, afirma na carta, que pode ser lida na íntegra na seção Colunistas de Afropress.

A ministra Marta Suplicy considerou a decisão do juiz sem pé nem cabeça e disse que só pode ser explicada por “racismo”. O MinC está recorrendo da decisão.

Na carta, depois de explicar ao juiz o processo de produção de filmes e documentários e os papéis do produtor, do roteirista e do diretor, Amadeu conclui. “O julgamento do Maranhão em relação a esse concurso está impedindo todo o Brasil de participar do edital que inclui um afrodescendente numa posição chave dentro de uma produção cinematográfica. Acredito que não somente eu, mas a sociedade brasileira gostaria de se aprimorar com maiores detalhes sobre essa medida judicial.”

Quem é

Amadeu é formado em Rádio e TV, pela FAAP, de S. Paulo, e em cinema pela Los Angeles City College, nos EUA. Ele começou a carreira aos 17 anos, trabalhando em empresas de rádio e televisão, incluindo como sonoplasta na Rádio 89 FM. Também atuou como produtor de programas de entretenimento na Rede Record.

Em Los Angeles, fez carreira como roteirista e produtor de cinema e comerciais, trabalhando com cineastas americanos, e roteirizou longas e curtas metrangens em inglês, português e espanhol, com destaque para o curta Positive, que foi escrito, produzido e dirigido por ele e lançado no Los Angeles Brazilian Film Festival com distribuição internacional pela Go Digital Distribuidora.

Em 2010, coproduziu e codirigiu o primeiro longo metragem – The Last Act – distribuído internacionalmente pela Wonderphil Productions. Ainda em 2010 codirigiu e corroteirizou seu segundo longa metragem em parceria com Damian Chapa. Juntos, Amadeu e Damian produziram quatro longas de distribuição internacional, com destaque para Brando Unauthorized e Vatos Locos. Esses títulos foram sucesso de vendas em todo o território americano nas lojas Walmart.

Como produtor, ainda em Los Angeles, trabalhou em comerciais, vídeo-clipes, longas e curtas. Entre os projetos de que participou estão a campanha de promoção do filme da Paramount Pictures, World War Z (Guerra Mundial Z, no Brasil), estrelado por Brad Pitt. Também participou da campanha de promoção do videogame FEAR, adquirido e financiado pela Warner Brothers.

Em comerciais, produziu e dirigiu, entre outras peças, a campanha Tres Mares, um resort de luxo em Puerto Vallarta no México. Também produziu campanhas publicitárias para clientes como Sigue Corp, Tadin Corp e Mountain High. Participou da produção de vídeo-clipes de grupos como Chico & Nacho, Anacron e Bird Talk.

No momento, Amadeu prepara uma série para a Internet que será lançada no Brasil com equipe  e elenco brasileiros, numa parceria com o roteirista e produtor Daniel Perseguim e com o diretor e produtor executivo André Luiz Rosa, ambos de S. Paulo.

Daniel Perseguim e Amadeu trabalharam juntos em Los Angeles. No trabalho que desenvolvem conceberam o Projeto Cabeça de Nego, reeleitura da obra de Shakespeare, Macbeth, adaptada para a realidade do cotidiano do RAP de uma favela em São Paulo.

Segundo Amadeu o trabalho sobre o dramaturgo inglês visa dar visibilidade aos grupos nacionais de Rap e às comunidades pobres da periferia de S. Paulo, porque, “elas serão trazidas para dentro do processo de criação, pescando de dentro da comunidade, estagiários, figurantes e atores”.

Da Redacao