Cachoeira/BA – De 23 a 28 de Novembro próximo, acontecerá na bela e histórica cidade de Cachoeira, no Recôncavo Baiano, o VI Bahia Afro Film Festival, festival de cinema de cineastas, produtores e conteúdos negros. 

www.baff-bahiaafrofilmfestival.com

Filmes de cineastas e produtores negros do Brasil e do exterior, renomados e desconhecidos, estarão em competição, mostrando suas qualidades.

O diretor de teatro e cinema, Flávio Leandro, colunista de Afropress, é um dos convidados para o Festival e ministrará Oficina de Realização Audiovisual. Segundo Leandro, a oficina possibilitará aos participantes os conhecimentos básicos da produção de um filme – do roteiro a finalização das filmagens. Ao final deverão produzir um filme de curta metragem.

Cachoeira

Para reviver a história de Cachoeira, município do Recôncavo Baiano, que foi cenário de conquistas históricas nos séculos XVIII e XIX, não é preciso recorrer a livros e retratos antigos: basta percorrer as ruas da cidade.

Palco de batalhas importantes — como a de 25 de junho de 1823, que é considerada a primeira vitória do país na Guerra da Independência —, o lugar respira história em todos os cantos.

A arquitetura típica do Brasil Império figura praticamente por todos os lados — ruas, becos, lojas e casas. Não à toa, Cachoeira foi tombada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) em 1971 e passou a ter o título de Cidade Monumento Nacional.

Situado às margens do Rio Paraguaçu, o município alcançou seu ápice econômico quando o porto era utilizado para o escoamento da produção agrícola de toda região, por volta de 1800. A expressiva presença de africanos e europeus no período escravista resultou no atual sincretismo religioso da cidade, que conta com diversas igrejas católicas e cerca de 50 terreiros de candomblé.

Uma das vantagens de se visitar Cachoeira é a de atravessar a pé a centenária e bela ponte sobre o Rio Paraguaçu e chegar em São Félix. Cidade colada com Cachoeira e tão bela quanto.

 

Da Redação