Brasília – Por iniciativa do deputado federal Edson Santos (PT/RJ), ex-ministro da SEPPIR, a Câmara dos Deputados realiza nesta segunda-feira (19/08), a partir das 10h, no Plenário Ulysses Guimarães, sessão solene para lembrar os 25 anos da Fundação Palmares, autarquia vinculada ao Ministério da Cultura e primeira instituição dedicada às questões da cultura negra brasileira.

 

Segundo Santos, o trabalho da Palmares e os projetos que dão visibilidade aos artistas e produtores negros são instrumentos de incentivo à cultura negra e de construção da autonomia de homens e mulheres que contribuem para o fim do racismo. “A partir da Fundação Palmares, a temática da cultura negra virou uma referência institucional não só no Brasil, mas também em outros países”, afirmou.

 

Como parte da celebração dos 25 anos, o presidente da Palmares, Hilton Cobra, Cobrinha, decidiu que serão realizados eventos em nove Estados: Brasília/DF, Salvador/BA, São Paulo/SP, Rio de Janeiro/RJ, Recife/PE, Porto Alegre/RS, Vitória/ES, Cuiabá/MT, Maceió/AL. As ações acontecerão até o dia 23 de outubro.

 

Pós-25 anos

 

Segundo Cobrinha a proposta da programação Palmares 25 anos é reunir reflexões, já em discussão por agentes culturais e a sociedade civil negra, que dêem base para a criação do projeto para uma Palmares pós 25 anos. “Queremos contribuir para criar uma FCP do futuro, que dialogue com todos os setores da sociedade brasileira que pense cultura e, principalmente, cultura negra”, disse.

 

Lideranças da região norte que não foi incluída na programação estão protestando. “A Amazônia tem 5 titulares no Colegiado Nacional Setorial de Culturas Afro-brasileiras, entretanto paece que ao MinC não interessa o financiamento e valorizaçnao das culturas afro-amazônicas”, afirma Táta Kinamboji, titular do Conselho Nacional de Política Cultural do Ministério da Cultura representando as culturas afro-brasileiras.

 

A Fundação foi criada em 1.988, por iniciativa do então presidente e atual senador pelo Amapá, José Sarney.

Da Redacao