Senhores e senhoras, meus detratores,

Só para refrescar a memória dos senhores, sou negro, tenho duas filhas negras, duas netas negras, um filho negro, um neto negro, cinco irmãs negras, um irmão negro, seis sobrinhos e sobrinhas negras. Portanto, contradizendo o pensamento dos senhores, a Causa Negra tem, sim, tudo e muito a ver comigo. Sou um negro de raça e consciência; não sou um negro de profissão e não um miquinho amestrado de partido político. E como cidadão negro, vou e irei me manifestar, sim, contra a usurpação e a barganha da raça por aqueles que pousam como salvadores dela.

Há pelo menos quatro décadas os senhores e senhoras do Movimento Negro propagam nos seus currículos resistências, vitorias e conquistas históricas em benefícios da Causa Negra, que só os senhores viram e só os senhores conhecem. Perguntem as mães dos Jovens do Cabula, e as dezenas de mães do Rio de Janeiro, cujos filhos foram exterminados pela polícia dos Governos os quais vocês, dos movimentos negros, são encabrestados e prestam continências, se as dores delas são benefícios?  

Aonde estavam vocês nos anos setenta,  que não se manifestaram quando a imprensa branca, racista –  contrariada por vir um ídolo negro conquistar o Brasil com sua ginga e talento –  criou a mais infame das calúnias contra o cantor Wilson Simonal?

Aonde estavam vocês, ainda nos anos setenta, que permitiram um funeral e um enterro, anônimo, a Solano Trindade, um dos maiores poetas negros desse país?

Aonde estavam vocês nos anos setenta e oitenta, que não somaram força à empregada doméstica Marly Pereira Soares, que desafiou toda a Polícia Militar Fluminense, apontando nas fileiras dessa polícia o assassino do irmão; evento conhecido como o Caso Marly?

Aonde estavam vocês, nos anos oitenta/noventa  que não combateram a Rede Globo que subverteu as personagens negras para personagens brancas, dos romances Riacho Doce, de José Lins do Rego, e Mar Morto (Porto dos Milagres), de Jorge Amado?

Aonde estavam vocês, recentemente, que não contestaram o líder negro do PT que ameaçou de morte, em redes sociais, o Ministro Joaquim Barbosa?

Aonde estão vocês que efetivamente não freiam o racismo que está em ascensão no Pais?

Aonde estão vocês que não cobram dos políticos, seus senhores, escolas públicas dignas, hospitais com tratamentos humanos e transportes eficientes às comunidades onde é grande os contingentes negros?

Aonde estão vocês que não combatem as agressões e calúnias contra as Religiões de matrizes africanas, feitas diuturnamente em rádios, TVs e na Internet?

Certamente, vocês estavam e estão pelos diretórios partidários e pelos gabinetes políticos barganhando a Causa Negra e a Causa Quilombola. Causas que não avançam, e são vistas com indiferenças, exatamente por causa das intervenções interesseiras dos senhores.

Para o conhecimento dos senhores, meus e-mails são repassados para inúmeros outros e-mails e listas; são publicados por portais confiáveis e úteis à Causa Negra como o Afropress. Isso mostra que só vocês me veem como um inimigo. E, realmente, eu o sou. Inimigo ferrenho da usurpação da raça.

Quando digo que recebo dezenas de e-mails de negros e negras, que também se mostram indignados com a usurpação da raça, falo como um alerta. Está mais que na hora de se repensar um modelo novo para o combate ao racismo e para a conquista da legítima Igualdade Racial. Esse modelo dos movimentos negros é arcaico, falido, nocivo, usurpador, desmoralizante, entreguista e barganhador.

Abraços.

Flávio Leandro

 

Flávio Leandro