A Secretaria do Trabalho, por intermédio da Comissão Intersecretarial de Monitoramento e Gestão da Diversidade (CIM-Diversidade) lembrou o 21 de março – Dia Internacional Contra a Discriminação Racial, em ato que reuniu cerca de 200 pessoas no Sindicato dos Comerciários, lançando a Cartilha “Trabalhando a Diversidade na Cidade de S. Paulo”, com textos e ilustrações do cartunista Maurício Pestana.
O evento foi aberto pelo secretário Gilmar Viana, tendo à mesa o presidente do Sindicato, Ricardo Patah, o presidente da Comissão da Diversidade, jornalista Dojival Vieira, o Coordenador do Centro de Apoio Operacional das Promotorias de Justiça da Cidadania do Estado de S. Paulo (CAO-Cidadania) promotor Antonio Ozório Leme Barros, Paulo Illes, da Pastoral do Migrante, Maria de Lourdes, da Delegacia Regional do Trabalho e Nelson Kheirallah, diretor das lojas Camisaria Colombo, a primeira empresa no Brasil a assinar acordo coletivo instituindo cotas de 20% para negros.
Viana falou da importância de se superar a discriminação no mercado de trabalho e explicou que a cartilha pretende ser um instrumento mobilizador dos esforços para a realização da diversidade.
Entre os presentes, o próprio autor da Cartilha, Maurício Pestana, a porta-bandeira Kátia Cristina da Silva e o mestre sala, o japonês Tsubasa Miyoshi, da Escola Império de Casa Verde, bicampeã do carnaval de S. Paulo, convidados pela Secretaria por simbolizarem no entender da Comissão a importância e a riqueza da diversidade.
Kátia e Tsubasa fizeram uma rápida apresentação com a bandeira da Escola empolgando o público, que lotou o auditório da Rua Formosa, no Anhangabaú.
O coordenador das Ações Afirmativas do Ministério Público do Estado, promotor Antonio Ozório, lembrou o significado do 21 de Março – data que foi instituída pela ONU para lembrar o massacre de Sharpeville, na África do Sul, em que 69 pessoas foram mortas no dia 21 de março de 1.960, quando protestavam contra o regime do apartheid. O promotor destacou a importância das ações afirmativas como estratégia de superação das desigualdades.
O diretor das Lojas Colombo Nelson Kheirallah disse que o pioneirismo da empresa resultou em ganhos para todos. Hoje nas Camisarias Colombo, o número de afrodescendentes supera os 30%; é a empresa com maior número de afrodescendentes ocupando cargos de gerência e não há desigualdade salarial entre negros e não negros.
Para o jornalista Dojival Vieira, presidente da Comissão, a Cartilha servirá para sensibilizar gestores públicos e a sociedade em geral para a importância do respeito e valorização da diversidade. A Comissão da Diversidade é formada por representantes de todas as Secretarias, Autarquias, Subprefeituras e outros órgãos como o Conselho da Comunidade Negra, a Cone, Coordenadoria da Mulher e Conselho Estadual da Condição Feminina e foi criada para implementar o GRPE – programa da OIT – que faz parte da “Agenda do Trabalho Decente” da Organização. O Programa tem apoio da Seppir, do Governo Federal. Em linguagem simples e com ilustrações com o traço do cartunista Pestana – com larga experiência nesse tipo de trabalho – a Cartilha fala dos números e da desigualdade que atinge a população negra no mercado de trabalho, destacando a situação da mulher, que ocupa a base da pirâmide social e que tem pior remuneração.
O ato foi encerrado com a apresentação de um vídeo falando dos números da discriminação que atingem negros e mulheres no mercado de trabalho e com o presidente do Sindicato Ricardo Patah, destacando que o pioneirismo das ações da entidade nas negociações de acordos coletivos com a exigência de cotas para os afrodescendentes no mercado de trabalho, vai continuar porque esse “é o melhor caminho para o Brasil”.
Logo após foi servido coquetel oferecido pelo Sindicato aos presentes, no andar superior, do prédio que está sendo reformado para ser inaugurado em maio.