S. Paulo/Barretos – A entrevista do interventor da Santa Casa de Misericórdia de Barretos, Eduardo Petrov, sobre o caso da prática de assédio moral e racismo de que foi vítima a médica anestesista Carolina Bernardes, além de confusa, reforçou a idéia de que a direção do Hospital tenta transformar a vítima em ré. Segundo Petrov a Sindicância deve ser concluída ainda esta semana, porém, não informou quem a preside, nem quem a compõe.

Por essa razão, a direção de Afropress, encaminhou a Vera Godoi, da Assessoria de Imprensa do Hospital, as questões abaixo. Até às 15h41 desta terça-feira (23/06), contudo, nenhuma das questões havia sido respondida por Petrov ou por sua assessoria.

Confira:

À Assessoria de Imprensa da Santa Casa de Misericórdia de Barretos, A/C Vera Godoi,

Pedimos a gentileza de nos encaminhar as seguintes informações:

1 – Número da Portaria por meio da qual o interventor nomeou os membros da Comissão de Sindicância?

2 – Quem são os membros da Comissão de Sindicância?

3 – Quem a preside?

4 – O que a Sindicância vai apurar exatamente já que o caso de injúria racial e da suposta omissão de socorro, não guardam relação, sendo que essa última hipótese é apenas a versão do médico Fernando Jorge?

5 – Qual o prazo para apuração?

6 – Na entrevista coletiva o interventor Eduardo Petrov afirma textualmente o seguinte: "Em momento algum saiu um ofício oficial da administração pedindo a substituição da doutora Carolina. Isso foi algo que pegaram um rascunho lá na minha sala tiraram uma foto, e colocaram no jornal de forma leviana e de má fé, tanto é que a doutora Carolina fez cirurgia aqui na quinta feira, fez cirurgia hoje e ela não foi substituída pela cooperativa". O interventor então afirma que alguém praticou crime de falsidade ideológica? Quais as providências que tomou para esclarecer esse crime?

7 – O interventor está acusando então o responsável pelo setor de compras, Tiago Soares de Oliveira Vidal, de ter assinado documento oficial do hospital, à sua revelia e sem sua autorização?

8 – Que providências tomará em relação ao crime de falsidade ideológica?

9 – O que pretendeu dizer com a frase dita na coletiva: "Lembrando sempre que a doutora Carolina ainda não foi substituída, ela está prestando serviços até que seja concluída a sindicância"?

10 – O encaminhamento dado pelo interventor Eduardo Petrov não explicita que tenta transformar vítima, no caso a doutora Carolina Bernardes, em ré? .

No aguardo das respostas, agradecemos a atenção.

Cordialmente,

Dojival Vieira, Jornalista Responsável e Editor de Afropress

Da Redacao