S. Paulo – Alunos do curso de Direito da Faculdade Zumbi dos Palmares criaram um Grupo
de Estudos para analisar o caso de Januário Santana – o funcionário da USP vítima de tortura por motivação racial, na loja da Rede Carrefour de Osasco, suspeito, de roubar o próprio carro, um EcoSport.
De acordo com o reitor da Faculdade, José Vicente (foto), esta é uma oportunidade de os estudantes estarem atentos ao que está acontecendo na sociedade e ao mesmo tempo refletir, e dentro do espaço acadêmico, criar mecanismos para examinar os aspectos legais do caso.
A criação do Grupo de estudo também acontece para preparar os futuros advogados a saberem identificar legalmente os tipos de crime relacionados à questão racial. “O fato que aconteceu com Januário me entristece, mas no momento em que vejo diversos setores unidos para decidir o acerto de posições sinto que fortalece a luta do nosso povo”, revelou esperançoso o reitor da Faculdade Zumbi dos Palmares, José Vicente.
Para o reitor, a grande proporção que o caso Januário tomou tem um significado. Ele diz que o fato traz a certeza de que a luta contra o racismo não é de pessoas ou grupos isolados. É da sociedade brasileira e diz respeito a todos.

Da Redacao