Rio – O Centro de Articulação de Populações Marginalizadas (CEAP) lançará nesta quinta-feira, 21 de março – Dia Internacional de Luta pela Eliminação da Discriminação Racial – no Centro Cultural Carioca, a sétima edição do Prêmio Camélia da Liberdade. O lançamento que acontecerá a partir das 14h será marcado por um debate sobre os 10 anos de vigência da Lei 10.639/03 e pela distribuição de material didático sobre “A Pequena África”.

Estão confirmadas as presenças de Ivanir dos Santos, conselheiro do CEAP, Togo Iorubá, Azoilda Trindade, Carlos Eugênio e Rubem Confete .

O Prêmio Camélia da Liberdade vem premiando todos os anos, empresas, instituições de ensino, veículos de comunicação e personalidades que promovem Ações Afirmativas. Os concorrentes disputam em quatro categorias. Este ano, por indicação do CEAP, a Afropress – Agência Afroétnica de Notícias – concorre na categoria de mídia digital.

“A sociedade já tem o Camélia como uma referência e o CEAP se alegra com isso. O lançamento do Prêmio, que este ano tem a Pequena África como tema, é de extrema importância porque, como representante da instituição, vou anunciar os concorrentes, falar sobre o conselho e expor, enfim, como são os critérios que definem os vencedores”, afirma o conselheiro do CEAP, babalawo Ivanir dos Santos. 

Mesa

Na mesa de debates, além do babalawo e os autores dos livros, estarão a doutora em Educação Azoilda Trindade e o jornalista Rubem Confete. Trindade destacará as contribuições dadas pelos acadêmicos para a implementação da lei, que ressalta a importância da cultura negra na formação da sociedade brasileira; Rubem Confete contará a trajetória da transformação da Pequena África, resgatando e celebrando o patrimônio imaterial da cultura popular presente naquela região, através das diversas manifestações culturais afro-brasileiras encenadas em seu próprio ambiente; Carlos Eugênio contará o que o levou a pesquisar mais sobre a Zona Portuária do Rio de Janeiro, que neste momento passa por grandes obras; e Togo Iorubá falará da experiência da confecção da revista em quadrinhos.

Concorrentes

Depois de já ter conquistado uma das edições do Prêmio Camélia com o programa “Sagrado”, a Rede Globo volta a concorrer com a novela “Lado a Lado”, de João Ximenes Braga e Cláudia Lage. A Rede Record concorrerá com Caminhos da Reportagem Herança Negra no Rio de Janeiro.

Mas as outras categorias também prometem deixar os conselheiros do Prêmio divididos. Em Instituição de Ensino, Instituto Luther King, NEPRE/UFMT, Universidade Estadual do Mato Grosso e PUC-Pró-afro fazem parte dos concorrentes.

Já na categoria Empresas, o Governo do Estado do Rio de Janeiro, A Secretaria Municipal da Reparação (BA), o Programa Antonieta de Barros (SC), além da Companhia Hidro Elétrica do São Francisco (CHESF), estão no páreo

“É sempre muito difícil escolher e, exatamente por isso, há um conselho. Após as decisões dos grandes vencedores, os conselheiros decidem sobre as personalidades. Dia 24 de abril, saberemos os vencedores e vamos aproveitar para curtir a boa música do Jorge Aragão, do Nei Lopes, Altay Veloso, da Juliana Diniz e dos ogans Bamgbala e Tião Casemiro, no Vivo Rio, conclui Ivanir.

 O CEAP é uma instituição de excelência na batalha pela afirmação da identidade negra e de busca por inclusão social e política. O combate ao racismo e a desigualdade são algumas das bandeiras da entidade. 

Da Redacao