No dia 21 de março, data lembrada mundialmente como o dia contra a discriminação racial, Izzy Gordon se apresenta com seu trio no Centro Cultural Rio Verde, em um show de celebração à música negra.
O show terá as participações especiais do percussionista cubano Pedro Bandera – integrante da banda da cantora Marina de La Riva e dos projetos de André Jung (“Urban Totem”) e João Gordo (“Los últimos tipos”) – e do MC Gaspar, do Z’África Brasil – grupo de Rap da zona sul de São Paulo que há 15 anos mescla poesia, canto falado ao cancioneiro popular brasileiro, passeando entre os diversos públicos da “capital brasileira da diversidade”.
A Organização das Nações Unidas declarou 2011 em como o Ano Internacional dos Afrodescendentes.
Quem é Izzy Gordon
Izzy Gordon, Pedro Bandera e Gaspar são artistas herdeiros das muitas tradições musicais da Diáspora Africana, que têm tocado para públicos distintos no país e fora dele. Neste show, os três artistas vão estar juntos em um palco pela primeira vez.
Izzy Gordon consagrou sua voz através do jazz e da Bossa Nova e tem dois discos lançados – a homenagem à Dolores Duran, de quem é sobrinha, no álbum “Aos Mestres Com Carinho” (2006) e “O Que Eu Tenho Pra Dizer” (2010), trabalho no qual ela expressa seus gostos por ritmos, melodias e timbres, com faixas como “The End of Our Love”, de Sérgio Dias; o maracatu “Recife Nagô”, de J. Michiles, o samba com “Gata Lúcida”, da compositora e amiga Giana Viscardi.
A cantora investiu na batucada com o talento de Dalua, um dos maiores percussionistas do país. Com a ajuda do pai, o guianense Dave Gordon, cantou o mix “Kingston Market/ Jamaica Farewell”, do rei do calipso Harry Belafonte, ao som dos steel drums. A artista ainda debuta como compositora na faixa-título, que coloca a Bossa Nova em contato com a cuíca.
Biografia
Izzy cresceu ouvindo jazz e bossa nova. Filha de Dave Gordon e sobrinha da cantora Dolores Duran, conviveu desde criança com nomes como Jair Rodrigues, Tim Maia, César Camargo Mariano, Rita Lee, Wilson Simonal, Cassiano, e muitos outros que apareciam em casa para conversas e jam sessions com seu pai.
Sua carreira começou com canjas nas casas noturnas onde Dave Gordon trabalhava. Mas foi no musical “Emoções Baratas”, do diretor José Possi Neto, que Izzy confirmou seu talento como cantora e viajou pelo Brasil.
Em 1993 gravou no disco 23, de Jorge Ben Jor, com quem saiu em turnê. Em 1995 foi convidada pelo músico Skowa a integrar a primeira formação do Grêmio Recreativo Amigos do Samba Rock Funk Soul.
Com o grupo, gravou o álbum “Via Paulista”, mais uma vez ao lado de Jorge Ben Jor e fez shows com Ed Motta. De Naum Alves de Souza partiu o convite para homenagear mulheres como Elis Regina, Chiquinha Gonzaga, Dolores Duran e Ângela Maria com o musical Divas EnCanto que aconteceu em 1997, no Sesc Pompéia-SP.
Uma das passagens mais marcantes de sua carreira foi em 2006, quando fez dois shows exclusivos para a banda irlandesa U2, em São Paulo. O convite veio da própria produção de Bono e cia, que escutou o então recém-lançado primeiro CD “Aos Mestres com Carinho – Homenagem a Dolores Duran”.
Bono Vox deu até uma canja em “I´ve Got You Under My Skin” e de quebra, Izzy recebeu elogios de ninguém menos que Quincy Jones, que acompanhava o U2 na ocasião. Vale lembrar que o trabalho em homenagem à tia Dolores Duran recebeu duas pré-indicações: Grammy Latino e Prêmio TIM.
Atualmente Izzy circula por todos os eventos e festivais de jazz e blues do Brasil, como o Festival de Jazz e Blues da Guaraminga, Ceará; Visa Búzios Jazz & Blues, Rio de Janeiro; Festival de Jazz de Porto de Galinhas e Festival de Jazz de Garanhuns, ambos em Pernambuco.
Também passou por inúmeros eventos populares como o show da Consciência Negra no Vale do Anhangabaú, ao lado de Rappin Hood; o projeto Circuito Original, ao lado de Dona Ivone Lara e Oswaldinho da Cuíca; o Festival de Música do Jardim Jangadeiro, no Capão Redondo, com Leci Brandão, Sandália de Prata e Stanley Jordan; e a abertura da Mostra Cultural Cooperifa, a convite do poeta Sergio Vaz. Isso sem contar o Teatro Municipal, um dos palcos mais cobiçados de São Paulo.
Sua versatilidade e ecletismo a levaram para outros palcos. Fez backing vocal para o Deep Purple e Jorge Ben Jor, participou de shows com a Banda Black Rio, Max de Castro, Gerson King Combo, Zizi Possi, Fernanda Porto, Ed Motta, Léo Maia, e muitos outros. Izzy tornou-se uma cantora difícil de rotular e de repertório diversificado, pois passeia pelo jazz, bossa, soul e MPB com muito charme e talento.
Em 2010, lançou seu segundo disco e debuta com composições próprias em “O Que Eu Tenho Pra Dizer”, lançado pelo selo Label A e gravado nos Estúdio Angels. O CD entrou na lista do jornalista/apresentador Zeca Camargo, como um dos 20 melhores CDs do ano.
O mesmo CD também foi parar nas mãos de Sir Paul McCartney, após show que ela fez para o próprio, no hotel onde o ex-beatle estava hospedado e ainda deu uma canja com a cantora. Izzy mais uma vez foi a hostess da música brasileira para um importante artista internacional.
SERVIÇO:
21/03, segunda-feira: Izzy Gordon celebra música negra no Rio Verde – participações: Pedro Bandera e Gaspar (Z’África Brasil)
Centro Cultural Rio Verde – Rua Belmiro Braga, 119 – vila Madalena / São Paulo – SP
Tel.: (11) 3459-5321
Porta: 20h
Show: 21h
Preço: R$ 10,00 (nome na lista); R$ 15 (na hora)