Pedro Leopoldo/MG – Segundo a professora Cláudia Aparecida, cuja casa já foi alvo de um tiro cuja autoria não foi investigada pela Polícia, em setembro do ano passado, tem prevalecido em Pedro Leopoldo, o clima de “deixa-disso” e de impunidade.
A maior demonstração disso, segundo ela, foi a forma como o agressor foi recebido na Câmara Municipal pela Mesa Diretora, incluindo o seu presidente, Osmar Costa, do PDT, e pela ausência de informações a respeito do andamento das investigações.
A Delegada Priscila Pereira Santos, que cuida do caso, afirmou que está juntando as denúncias, mas não ouviu, até o momento, a vítima, embora reservadamente tenha admitido que a série de novas ameaças poderá resultar num pedido de prisão preventiva do fazendeiro.
Pedro Leopoldo é conhecida como a terra onde nasceu o mediu Chico Xavier, o maior líder espírita do país, conhecido mundialmente pelas mensagens de paz.
Pedido de socorro
O diálogo com as novas ameaças demorou cerca de 22 minutos e foi gravado em áudio e resultou no registro de mais um Boletim de Ocorrência na Delegacia de Pedro Leopoldo.
Enquanto as ameaças prosseguem sem uma providência das autoridades policiais, o caso já foi encaminhado para conhecimento do Ministério Público Federal e a Comissão de Direitos Humanos da Assembléia Legislativa de Minas Gerais, que prometeram realizar uma visita técnica à comunidade.

Da Redacao