Salvador – O cineasta negro Luiz Orlando da Silva, 61 anos, foi enterrado na tarde desta sexta-feira, 04/08, no cemitério Campo Santo, em Salvador. Luiz morreu na quinta, às 23h, no Hospital Roberto Santos, vítima de câncer no intestino.
Desde cedo apaixonado pelo cinema ele foi uma referência importante na história dos cineclubes na Bahia e no Brasil. Foi também um dos mais ativos no movimento cineclubista e responsável pela difusão do cinema baiano, formando e conscientizando platéias por onde passava.
Militante ativo do Movimento Negro, foi responsável pela exibição de filmes sobre a cultura negra em diversas mostras, tendo dirigido, inclusive, o IV Festival de Cinema Panafricano. Participava também, na condição de suplente da direção, da Associação Baiana de Cinema e Vídeo (ABCV-BA).
A morte de Luiz Orlando deixou consternados dezenas de amigos, cineastas, críticos de cinema e professores. O cineasta Joel Zito Araújo, reagiu assim à notícia: “Estou chocado e triste. Conheço e sou amigo do Luiz desde o final dos anos oitenta. Sempre foi um batalhador, idealista, sonhador. Esta é uma daquelas perdas que custarão tempo para ver substitutos a altura nesta difícil causa do cinema negro e brasileiro. Que os deuses e orixás o protejam e reconheçam o seu belo trabalho aqui na terra, nesta nova etapa”, afirmou.
O secretário do Audiovisual do MINC, Orlando Senna, diz que o cineclubista nunca será esquecido.”Sua sensibilidade, sua simpatia, sua incansabilidade, seu entusiasmo pelo que fazia, seu amor pelo cinema, seu exemplo de militância são estímulos para todos nós”, afirmou Senna.

Da Redacao