Ouro/Preto – A inclusão do quesito cor nas fichas cadastrais com autodeclaração e o recorte racial no censo da categoria, propostas defendidas pela Comissão de Jornalistas para a Igualdade Racial (Cojira-Rio) foram aprovadas pela maioria dos delegados no 32º Congresso Nacional de Jornalistas realizado em Ouro Preto, Minas.
As propostas forami defendidas pelo jornalista Miro Nunes, que lembrou a importância da produção de dados para o desenvolvimento de pesquisas e análises qualitativas que influirão na formulação de políticas de promoção da igualdade racial.
A jornalista Sandra Martins, também da Coordenação da Cojira-Rio, destacou o apoio de jornalistas não negros às teses e a defesa de que a Federação Nacional dos Jornalistas, como espaço político da categoria, deve institucionalizar a discussão e ampliá-la para outros sindicatos desenvolvendo ações concretas no mercado de trabalho.
Miro e Sandra consideraram uma vitória a aprovação das propostas que tiveram apenas dois votos contrários e duas abstenções entre os 31 representantes de entidades que participaram do Congresso: “É uma vitória, pequena para muitos, mas uma batalha para nós jornalistas afro-descendentes que estão na luta há séculos no combate à discriminação racial e ao eterno mito revisitado da democracia racial”, destacaram.

Da Redacao