S. Paulo – O Conselho Geral da Programação, a quem competia pelo Estatuto “estabelecer as diretrizes gerais da programação veiculada” pela TV da Gente, e seria um canal entre a emissora e a comunidade negra, segundo anúncio feito à época pelo empresário e cantor José de Paula Neto, Netinho, jamais se reuniu desde que foi instalado em novembro de 2.005.
O presidente do Conselho, Dagoberto Fonseca, designado pelo empresário, não foi encontrado para falar do caso.Também procurada pela Afropress, a jornalista Conceição Lourenço, vice-presidente da TV, disse que pretende agendar uma reunião sem, no entanto, especificar quando. “Eu ainda não marquei. Ainda vou falar com o Netinho pra decidir isso”, afirmou.
O Conselho se reuniu uma única vez no dia 07 de novembro de 2.005, quando foi instalado.
Deveria ser constituído por 12 Sub-Conselhos, com objetivo definido no Estatuto da Fundação Eduardo de Sá (nome da instituição mantenedora da TV da Gente), de “promover o desenvolvimento cultural e técnico-científico, abrangendo todos os níveis de ensino”.
Entre os Sub-Conselhos estão o de Produção Gráfica, Propaganda, Marketing e Comunicação, o de Assuntos Tecnológicos, Profissionais e Educacionais, o de Assuntos Estratégicos e Políticos, o Expansão Territorial e Empresarial, o de Ética, Cidadania e Direitos Humanos, o Artístico e Cultural, o de Educação, Ciência,e Pesquisa da Infância, da Juventude e o do Idoso, o de Educação, Saúde e Gênero, o de Lazer, Moda, Esporte e Turismo, o de Educação, Cultura e Organização Social, o de Assuntos Educativos e Culturais d’África, o Sub Conselho de Representantes dos Conselhos Locais.
Cada Conselho deveria ter cinco membros, convidados por Netinho. Entre os membros estavam nomes como o prefeito negro de Suzano, Marcelo Cândido, o ex-deputado Adalberto Camargo, o professor Kabenguele Munanga, Edna Roland, relatora da III Conferência Mundial contra o Racismo, o Frei David e o cartunista Maurício Pestana.
Pestana confirmou a Afropress jamais ter participado de qualquer reunião. “A única reunião que o Conselho teve foi a da posse, na qual ficamos conhecendo os conselheiros. O mais estranho é que não houve nenhuma comunicação com os conselheiros. Eu gostaria de saber, acho que, no mínimo um comunicado teriam que ter mandado”, afirmou.
O jornalista Antonio Lúcio, colunista de Afropress, também afirmou que “só teve uma reunião de instalação. “Tenho viajado muito e já faz tempo que não falado de televisão”, afirmou. Lúcio disse que também tem falado com o professor Dagoberto, “mas não sobre isso”.

Da Redacao