S. Paulo – A presidente do Conselho de Participação e Desenvolvimento da Comunidade Negra de S. Paulo, professora Elisa Lucas Rodrigues, quer que o cantor Jair Rodrigues represente contra o homem, que durante um show recente em Jaú, o agrediu com palavras depreciativas a sua condição de negro.
O agressor, um grande empresário da cidade – cujo nome não foi revelado – teria se dirigido ao cantor, chamando-o de “neguinho” em tom pejorativo, segundo relato da jornalista Juliana Parra, que mantém uma coluna no Jornal Comércio de Jahú.
“Caro Jair “prepare o seu coração” para apoiar nosso trabalho em prol da eliminação da discriminação racial no Brasil. Peça para um advogado representar contra esse cidadão, que o ofendeu. Como artista, como pessoa, por tudo o que já disse e que você representa faz-se necessária essa sua atitude”, pediu Elisa, em carta enviada ao artista na semana passada.
Elisa disse que uma reação do cantor processando o acusado terá repercussão positiva para a comunidade negra paulista e brasileira. “Nós precisamos da sua bravura, da sua maturidade, da sua dignidade para que outros negros e negras não passem por essa humilhação, por tantos constrangimentos. Precisamos de sua reação para que nosso trabalho, nossa luta contra a discriminação exponha publicamente essa indecência, que é o racismo”, acrescentou.
A assessoria de Jair Rodrigues ainda não se manifestou sobre o pedido da presidente do Conselho.
O caso
O caso aconteceu no mês passado durante um show beneficente que teve a participação do cantor e, segundo a jornalista, por ter tornado pública a denúncia, passou a sofrer represálias do comércio local. “Prefiro perder patrocínio a omitir um episódio nojento como esse”, disse Parra.
Segundo a jornalista o episódio a injúria racial foi narrada pelo próprio cantor antes da apresentação em um show beneficente na cidade. Jair disse que até pensou em chamar a Polícia e desistir da apresentação, porém,posteriormente resolveu ignorar a atitude e subir ao palco.” Para a gente que estava ali ouvindo aquele desabafo, deu uma certa vergonha de ser jauense.
Afinal, como pode “a cidade” receber assim uma estrela como Jair Rodrigues, que veio até aqui por um cachê irrisório?, escreveu, acrescentando um pedido de desculpas “por esse ato isolado, nojento e vergonhoso”.
O caso também repercutiu na Câmara Municipal, denunciado pelo vereador Fernando Frederico de Almeida Júnior, do PV local. O vereador propôs que a Medalha Zumbi dos Palmares, criada recentemente, seja entregue à jornalista.

Da Redacao